Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


28.4.12

R013 Tamanho importa?


Sempre pensei pela minha cabeça, e como detesto carneirismos, nunca repito opiniões dos outros, sem ponderar e ter a certeza que fazem sentido para mim. Acho que devemos ter sentido critico para não aceitarmos os paradigmas que se criam, só porque “todos” pensam assim.

Quando ouço ou leio determinadas frases feitas que muita gente diz e que outros repetem, sem nem uns nem outros terem pensado bem no que estão a dizer, deixa-me sempre indignado.

Quando vejo em fóruns de discussão a pergunta “ size mathers ? ”, reparo que há sempre quem dê respostas do género… "De que vale ser grande se não souber o que fazer com ele?"… ou “prefiro um pequeno e trabalhador do que um grande e que não saiba fazer nada”. Este tipo de respostas feitas, que alguém ouviu outro dizer e que acha que é bonito repetir, deixa-me sempre chocado, e a pensar como é possível existirem pessoas que conseguem dizer coisas ou opinar sobre assuntos dos quais nunca reflectiram.

Quando se pergunta se o tamanho importa, está-se a pedir a comparação de tamanhos apenas, e não de performances. É lógico que o tamanho do piço pode ser pouco relevante para o prazer que se possa ter com determinado homem, mas não se pode partir do princípio de que quem "o" tem grande não sabe o que fazer com "ele". Assim como, se me perguntarem se prefiro mulheres altas ou baixas, eu não vou responder: "de que serve uma mulher ser alta se for coxa?"… ou responder… “prefiro uma mulher baixa e bonita do que uma mulher alta e feia”. Deste modo não estamos a comparar apenas a altura da mulher, estamos a introduzir na comparação outros factores que as tornam incomparáveis.

A  prova de que para as pessoas que dizem “de que vale ser grande se não for trabalhador” o tamanho importa, é que necessitam introduzir na comparação factores de valorização (que nem são pedidos) para compensar o facto de serem piços pequenos, e desvalorizar os grandes, para lhes retirar a vantagem de serem grandes. Ou seja, se de facto o tamanho não importasse, não seria necessário tentar compensar uns e denegrir outros.

É logico que gostos não se discutem, e qualquer pessoa tem o direito de gostar mais de pequenos ou de grandes, mas neste caso a opinião deve apenas refletir um gosto pessoal, e não deve ser passível de argumentação tendenciosa.

Outro disparate que já li várias vezes, é argumentarem… “se o piço for muito grande, magoa”. Se magoa, é porque o dono do "malho" não sabe o que está a fazer, tenha ele um piço grande ou pequeno, porque o sexo é para ser prazeroso e não para doer. Aqui o problema não está no tamanho do piço, mas sim na inabilidade de quem o maneja. É o mesmo que eu dizer que não gostava de ter um BMW porque anda muito depressa. Como é lógico, não é o carro que anda depressa, mas sim quem o conduz.

Da mesma forma que se pode ter prazer com um piço pequeno, um piço grande também não é nenhum entrave ao prazer. Se compararmos homens com a mesma performance, claro que o tamanho importa. Se compararmos homens com performances diferentes, não podemos compará-los apenas pelo tamanho do piço.

Mais importante que o tamanho, o que é relevante no prazer é saber fazer, tanto na penetração vaginal, anal ou sexo oral, independentemente de se ter um piço pequeno ou grande.

Saber dar prazer a uma mulher, requer que estejam reunidas determinadas condições, como o respeito pelas mulheres, ter prazer em dar prazer, gostar de aprender, muita humildade e entender que o sexo só pode ser de qualidade se for igualmente bom para os dois.

O homem é um todo completo, que aprende a funcionar com o corpo que tem, quer tenha um piço pequeno ou grande. A performance sexual do homem depende do seu carácter e da sua personalidade, e de características como a generosidade, o altruísmo e a inteligência emocional.

xarmus

19 comentários:

xarmus disse...

Um dia destes, no decorrer das minhas deambulações por outros blogs, vi um fórum de discussão no blog Erotika69.

Li as respostas às questões levantadas e achei que devia intervir numa questão em particular por não concordar com algumas respostas.

Como dei a minha opinião de forma rápida e simples, como também percebi que não fui bem interpretado, e como a publicação até correu mal com duplicação de partes do texto, achei que o tema merecia que eu escrevesse uma reflexão mais completa.

maria disse...

a simplicidade do ser é o ser.
você o é.
melhor de todos nesta blosgofera.
te admiro.
sou tua fã.
mesmo sem perceberes estou a me entregar a toda dia.
sou tua fã. e aqui estou todo dia.
maria.
http://www.youtube.com/watch?v=ogD8UDiMe1g&feature=list_related&playnext=1&list=SP6DD63D64074EB253

Anónimo disse...

Algo me intriga nessas comparações e generalizações que se fazem. E também penso que seja uma forma muito redutora de ver a coisa. No entanto, não percebo porque é que julgam o livro pela capa, e que ideia é essa, de haver uma associação assim TÃO directa entre o tamanho do piço e a performance em si.

Também sempre se ouviu dizer que uma moça que seja toda boazona na cama não vale nada, e quem é menos perfeitinha surpreende e dá uma tusa de hoje até amanhã. Mas falando nisso do tamanho importar ou não …

Eu tenho uma opinião formada sobre esse assunto à já algum tempo. As mulheres que dizem que um piço quanto maior, pior, lamento. Mas existem 3 razões para o dizerem: Ou nunca experimentaram e falam porque gostam de valorizar o que têm em “casa” (o que não acho mau, atenção). Ou até já experimentaram mas efectivamente a coisa não se deu pelo melhor (e ai eu pergunto quantos piços médios ou até pequenos a coisa não se deu) ou então, não existem condições anatómicas para funcionar como já estavam habituadas.
Não quero com isso dizer que se valoriza/desvaloriza um homem pelo tamanho do seu piço, porque simplesmente, quase nunca, é um factor que a mulher vai ponderar, em primeira instância, para se meter na cama com ele. Que eu saiba, independentemente das circunstâncias, o que interessa é a vontade que os dois têm em ter prazer. E se o prazer fosse reduzido ao tamanho do piço do homem, então tínhamos de pôr em questão também o tamanho da coninha da mulher.

Mas isto é só a minha opinião, cada um tem as suas preferências e acho muito bem, mas é como tudo na vida, Há boas fodas e más fodas e os motivos nunca é só um.
Beijinhhos

Rakel*

Anónimo disse...

Olá

Isso do tamanho é muito engraçado e as revistas femininas (que são assustadoras quando escrevem sobre sexo/sexualidade)fomentam ideias pré-concebidas e muito acríticas.
De uma forma geral concordo com a Rakel* e com o que escreve. Mas acrescento duas coisas:
1) A vagina é elástica e a expressão "vamos andando e vamos vendo" parece-me bastante adequada neste contexto :), isto no que respeita ao conceito de dor alegando que o pénis é demasiado grande. Para já não falar que o não "meter" tudo também é agradável sobretudo aos "olhos" :)
2) Eu costumo dizer que as pilas são como os telescópios (a quem eu chamo "pilas", precisamente pelo o que vou dizer a seguir). Para um telescópio interessa o diâmetro da lente e não o tamanho em comprimento do telescópio. Um telescópio com uma lente maior permite-me alcançar outros horizontes :). O mesmo para as pilas verdadeiras :), as mulheres gostam de se sentir preenchidas e bem preenchidas :)
Havia muito mais para dizer :)
Beijo
Isabel

*Lili* disse...

Concordo. Quando li esta questão pensei mesmo em dizer, que realmente não é algo que importe , o tamanho isto é. Mas se calhar por um lado associei também à habilidade da pessoa para fazer uso do seu "material".
Honestamente? Coisas grandes fascinam-me e ao mesmo tempo assustam-me não quero com isso dizer que é pior ou melhor.
E coisas pequenas são igualmente formidáveis. Agora convínhamos que temos sempre aquele "se" dentro da nossa cabeça que nos diz exactamente isso de que vale material grande se realmente não se sabe fazer nada com ele. Mas lá está é como dizes, aí estaríamos a generalizar e a ser ingratos para com aqueles que realmente sabem fazer uso do seu material. Mas confesso que tal como muitas opinião de comparação eu também já o fiz... e para mim pouco me importa o tamanho desde que se saiba o que se está a fazer. Mas gostei desse teu ponto de visto, e dou-te razão nesse aspecto, sem dúvida.

xarmus disse...

Olá Maria

Obrigado pelas tuas palavras... também gosto de ir ver o teu blog.

Beijo

Dias Cães disse...

Escrevi sobre este assunto há uns tempos e, claro, uma boa parte das pessoas não concordou. Mas haverá alguma opinião que seja consensual sobre este assunto. Creio que não. Depende tudo das experiências e das expectativas de cada um, por isso também não nego que possa haver quem sinta dor com uma pila maior. Nunca me aconteceu... mas admito que haja a quem tenha acontecido.
Entretanto deixo o link para o meu texto: uma panóplia de disparates para nos rirmos um bocadinho.

Beijos

http://www.diascaes.blogspot.pt/2012/01/tamanhos-mitos-e-omissoes.html

xarmus disse...

Olá Rakel*

Claro que o tamanho do piço não tem nada a ver com a performance.

O que acontece às vezes, é que um homem que tem um piço muito pequeno, tenha que se esmerar a dar prazer de outras formas. Saber lamber bem, ser bom com os dedos, para em certa medida compensar a falta de tamanho, e assim conseguir ter mulheres interessadas nele.

Assim como também é natural que uma mulher que não tenha um corpo perfeito, tenha que se esmerar em dar prazer ao homem para ter homens interessados nela.

Todos nós gostamos e precisamos de sexo, e cada um aprende a cativar o sexo oposto como pode, e usa as armas que tem para conseguir o que quer. É a lei da concorrência e da sobrevivência.

Mas isto não é uma regra, tudo é muito relativo, e ninguém pode classificar a performance por razões meramente anatómicas.

O prazer conseguido entre duas pessoas depende de uma infinidade de factores, que é impossível estereotipar ou sequer conseguir enquadra-lo em padrões predefinidos.

xarmus disse...

Olá Isabel

É engraçado o que dizes porque no meu comentário no fórum, também abordei esses aspectos. Aqui na minha reflexão preocupei-me mais em combater o paradigma, e reflectir de uma forma mais generalizada.

É lógico que as coninhas têm tamanhos diferentes, são elásticas e algumas são musculadas, e tudo isso são factores que relativizam a dinâmica da interacção.

Um mulher que consiga apertar a coninha, sente melhor um piço pequeno do que uma que não tem controlo desses músculos vaginais.

Um piço pequeno tem o problema de não conseguir satisfazer / preencher todas as coninhas, enquanto que um piço grande se adapta melhor a qualquer uma.

Beijo

xarmus disse...

Olá *LIli*

O que eu tentei dizer na minha reflexão, é que ter um piço grande não é sinónimo de não saber usá-lo, e cada vez que este tema vem à baila, um grande numero de pessoas vem sempre com o mesmo tipo de "conversa".

Por outro lado, a ideia também foi chamar a atenção para o facto de que, para quem faz este tipo de afirmações, o tamanho não é de facto indiferente, porque sentem a necessidade de compensar os pequenos, e desvalorizar os grandes.

Se para esses pessoas o tamanho fosse de facto indiferente, não necessitavam tentar "equilibrar" a comparação. Ao fazê-lo, estão a mostrar que no fundo, para eles, o tamanho importa.

Seria mais ou menos o mesmo que se me perguntassem se eu preferia uma preta ou uma branca, eu responder que preferia uma preta inteligente do que uma branca estúpida.

Ora, se de facto eu não for racista, bastar-me-há dizer que a cor não me faz diferença.

Para quem acha que o tamanho não faz diferença, a resposta natural à pergunta "size mathers" seria... "não... consigo ter prazer com qualquer tamanho", em vez de "prefiro um pequeno e trabalhador do que um grande que não saiba fazer nada".

Beijo

xarmus disse...

Olá Dias Cães

Claro que as opiniões são diferentes e cada tem direito à sua. O que eu contesto aqui, não são as opiniões.

Também acredito que haja mulheres que sintam dor na penetração, só que o problema não é do tamanho do piço, mas da falta de jeito dos dois.

Fui ler o que escreveste... gostei do que li.

Beijo

Anónimo disse...

Venho testemunhar que é possivel sentir dor com um pénis grande,sim.

Aconteceu-me depois da minha separação. Conheci um grande e lindo, mas o seu dono achava que fazer sexo eram movimentos de entra e sai a grande velocidade o que me provocava imensa dor. Tive que lhe explicar como se adaptar ao meu corpo e a coisa passou a ser mesmo prazerosa. Claro que dando-lhe tb a oportunidade da velocidade que ele tanto gostava. Um pénis grande é uma delicia porque nos preenche completamente, mesmo que se diga que a vagina se adapata a qualquer tamanho.

Mas o que tu explicaste está correctissimo. Subscrevo.

Gostei muito do exemplo do bmw:)

Rita

xarmus disse...

Olá Rita

Eu nunca disse que não era possível ter dor... o que eu disse é que quando se tem dor, a culpa não é do piço ser grande... mas sim da inabilidade de quem o maneja. Também se pode ter dor com um piço pequeno, que entre por ali a dentro à má fila sem que a mulher esteja lubrificada.

O que eu não concordo é que se diga que um piço grande faz doer. Devia antes dizer-se que há gajos que são brutos e provocam dor. O piço não tem culpa nenhuma. O meu gostoso nunca magoou ninguém.

... E claro que um piço grande, e principalmente grosso e bem rijo é uma delicia para uma mulher. (e até para alguns homens.. hehehe) Só quem não experimentou é que não faz ideia do prazer que se sente ao estar bem preenchida.

Beijo

Anónimo disse...

Para mim o tamanho importa...e muito...mas o tamanho da entrega, da vontade, do querer, do prazer, da tesão, da dedicação!


Já tive muito prazer com paus de varios tamanhos e infelizmente o contrario e teve tudo a ver com a ignorância e o egoísmo do parceiro não com o tamanho!

Um bom homem na cama não é só o pau....é a combinação de tudo, a mim pessoalmente desilude-me mais um homem que não saiba beijar, que não goste de fazer sexo oral ou que não saiba tocar.....

Mas confesso sem qualquer tipo de problema q prefiro os maiores, de me sentir mais preenchida, de os devorar até ter lagrimas nos olhos,de agarrar com as duas mãos ...mas isto sou eu!......Por isso Luis és tão bem sucedido com as mulheres, porque tens TUDO o que nos faz feliz!

Beijos...agora fiquei com saudades!

Milu

xarmus disse...

Olá Miluzinha

Obrigado minha querida, pela participação e pelas tuas palavras carinhosas.

Beijos gulosos

Patrícia disse...

Xarmus,
É do tamanho que depende o prazer de uma mulher? Não.
A voz, o cheiro, o toque, a atenção.
Se uma mulher está com um homem e só dá importância ao tamanho do pénis dele alguma coisa está mal.
Uma coisa é certa: depois de estar contigo, fiquei mal habituada.
Tens tudo em doses generosas.
Beijos

xarmus disse...

É isso tudo... boa.

... e tu és uma querida... mereces tudo em doses generosas.

Beijos

Pedro disse...

Sou homem e tenho lido imenso sobre o assunto. Também tenho falado com imensas mulheres sobre isso.
Depois de muitos anos deambulando pelo planeta e de bastaante experiência sexual, tenho uma ideia sobre o assunto, discutível como quase tudo neste mundo e que passo a descrever.
Isso depende muito da mulher em questão.
Se ela tem o mito "pénis grande é que é bom", se se encontra com um que está abaixo das suas expectaivas, será difícil que mude de opinião.
Se ela já tem uma boa experiência com bastantes, já saberá que grande não é sinónomo de bom e só por coincidência será assim.
Uma vagina, quando excitada, tem uma profundidade média de 13cm e é insensível para além dos primeiros 3 a 5cm.
Um pénis com pelo menos 15cm tem tamanho suficiente para a preencher bem, sem magoar, mas é mais importante a grossura que que o comprimento.
Agora vamos desfazer o mito que querem meter na cabeça das pessoas, talvez para tirar complexos aos homens de pénis pequeno. Há mínimos, mas também máximos.
Uma mulher que veja um pénis de 10cm ou menos, imagino que vai ficar tão dececionada, que dificilmente a coisa vai correr bem. Por outro lado se lhe aparecer uma monstruosidade, como algumas que se vêem na net, imagino que se assustará.
O que é que tem realmente importância?
Antes de mais que haja uma higiene irrepreensível de parte a parte.
O beijo é também muito importante! Nem toda a gente sabe beijar e é uma excelente forma de estimular as zonas erógenas. Ainda não me estou a referir ao cunilingus. Isso mais adiante.
Que o homem saiba que, cada mulher é um território sem mapa nem GPS, que a atual quase nunca é igual às anteriores, que tem que ser explorado passo a passo, que há que descobrir os caminhos a seguir, observando reações... e um longo etc... tendo em conta que em cada relação há que melhorar, até chegar à performance adequada.
Que o homem saiba (e queira!) estimular bem a mulher com uns bons preliminares.
Que saiba fazer-lhe um bom cunilingus (se ela gostar), estimulando-a da forma que for mais adequada para ela (nem todas gostam da mesma técnica) e não tenha pressa de passar à fase seguinte.
Que saiba usar bem a boca e os dedos.
Que encontre as suas zonas erógenas e as estimule bem.
Que saiba fazê-la sentir-se querida.
Que descubra como deve penetrá-la, usando as posições que agradem aos dois e não usar sempre a mesma.
Que aprenda com ela como mover-se dentro, observando reações e conversando...
Que seja criativo e consiga convencê-la a experimentar coisas novas, sem impor nada.
Que a anime a tomar a iniciativa.
Que nunca deixe que a rotina estrague tudo.
Que se gere entre os dois uma total confiança que permita uma total comunicação sem tabus.
Haverá mais coisas a dizer, mas a ideia básica é esta.
Mas calma aí amigo! Não estávamos a falar do tamanho do pénis? Porque toda esta conversa?
Muito simplesmente, porque o tamanho só por si é apenas um fator de todo um conjunto, que fará com que uma relação seja uma experiência maravilhosa ou um fracasso total!
Se o casal souber fazer as coisas bem, o tamanho não será importante e o mais natural é que ela não sinta vontade de experimentar outras coisas. Para ela o pénis é como é e nem perderá tempo a pensar se é grande ou pequeno.
Claro que falo de mulheres normais, não de gente louca por experimentar de tudo e com necessidade de saltar de flor em flor, todo o tempo.
Mas atenção!
Não é só o homem que é responsável por tudo isso. Ela não pode querer que ele seja um atleta sexual, sem comportar-se de forma a estimulá-lo para isso.
Na minha experiência pessoal, a minha performance variava muito, dependendo da qualidade da minha amante.
Uma mulher passiva só estimula a vontade de ir procurar outras alternativas... Sei-o por experiência pessoal.
Uma mulher consegue ter relações desde que consiga abrir as pernas. Muito, pouco, ou nada satisfatórias, mas consegue.
Um homem tem que ter o “sistema hidráulico” a funcionar bem, senão “o macaco” não levanta o carro.
Como disse antes, tudo o que escrevi são ideias minhas, completamente discutíveis.

xarmus disse...

Olá Pedro,

Obrigado pelo teu contributo na reflexão desta temática.

Abraço