Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


22.5.10

H008 Aventura inesperada

Tinha acabado o projecto que tinha em mãos, doía-me as costas por estar sentado há tanto tempo. Tinha petiscado na autocaravana e já estava a trabalhar há nove horas. Estava com aquela sensação boa do dever cumprido. Nestas situações, e sempre que acabo uma maratona de trabalho, por estar muito concentrado no trabalho e abstraído de tudo o que está à minha volta, parece que acordo naquele momento, e preciso de formatar a cabeça e pensar no que vou fazer a seguir.

Apesar de já ser tarde, ainda era cedo para dormir, e depois de pensar um pouco, percebi que o que me apetecia mais fazer, era estar com alguém desconhecido. Adoro conversar com pessoas desconhecidas e anónimas, porque há sempre coisas para dizer, e a conversa flui de uma forma muito sincera e muito despreconceituosa, sem necessidade de fingir ou mentir acerca de nada, podemos ser nós mesmos. Falar do que quisermos de uma forma despudorada é óptimo e aprende-se muito. Nestes casos, e se a conversa é agradável, acompanhada de um bom vinho tinto, e se existe atracção entre nós, tem fortes probabilidades de acabar na cama. Essa ideia agradava-me.

Devo dizer que não é nada fácil engatar alguém em cima da hora, mas eu já tinha conseguido algumas vezes e podia ter sorte. Apesar de ser tarde, decidi ir até ao site onde normalmente conheço as mulheres com quem travo amizade e/ou troco prazer. Procurei perfis que estivessem online no momento, li uns quantos e enviei a minha apresentação a 3 perfis que me pareceram interessantes. Depois esperei que o meu perfil me desse sinal de mensagem recebida, dei uns minutos para poderem ler, e depois chamei para o chat em privado.

Antes de lerem a minha mensagem, ninguém me liga nenhuma, até porque não tenho fotos no site e os chamamentos para chat privado nos ecrãs dos pc’s das mulheres, são às dezenas. Depois de lerem a minha apresentação que é bem humorada e marota qb, é muito mais fácil aceitarem o meu pedido de chat. Chamei, ela aceitou…

xarmus: Olá
Ana Maria: Olá. Gostei muito da tua apresentação, já me fartei de rir sozinha. Muito bom. Tens jeito para escrever e tens sentido de humor
xarmus: E se passássemos para o msn? Falamos lá melhor e podemos ver fotos… que me dizes da ideia ??
Ana Maria: ok… boa ideia. O meu contacto é **********@*******.com
xarmus: Vou adicionar-te… continuamos por lá… até já
Ana Maria: Até já

(22:46) xarmus: Olá
(22:46) xarmus: tudo bem?
(22:46) Ana Maria: sim
(22:47) Ana Maria: e quem é o "jeitoso" da foto??? és mesmo tu???
(22:47) xarmus: não...  é o meu pai… heheheheheheheh
(22:48) Ana Maria: com genes destes...
(22:48) xarmus: e tu? não tens uma fotozinha?
(22:48) Ana Maria: tenho, mas não tenho nenhuma sozinha
(22:49) xarmus: é o filhote?
(22:49) Ana Maria: é
(22:49) xarmus: maravilha... as crianças são uma delícia. E estás com ele neste momento?
(22:49) Ana Maria: não
(22:49) xarmus: hhuummmmm
(22:50) xarmus: se calhar podíamos encontrar-nos?
(22:50) Ana Maria: agora??
(22:50) xarmus: aproveitar tu não estares com ele... e eu estar em Lisboa... sim... quer dizer... mais daqui a um bocado… não precisa de ser já
(22:50) Ana Maria: não dá para mim
(22:50) xarmus: oohhhhh... não? então?
(22:51) Ana Maria: já tou de pijama, e hoje tive um dia chato
(22:51) xarmus: hhuummmm isso é bom... de pijama... eu estou em Belém… à beira rio
(22:51) Ana Maria: não me apetece sair
(22:51) xarmus: e estou de autocaravana
(22:52) Ana Maria: mas tu vives onde?
(22:52) xarmus: a ideia também não era ir a lado nenhum de especial... era mesmo ficar aqui dentro… conversávamos… bebíamos um copo
(22:52) xarmus: eu vivo na zona de Leiria
(22:52) Ana Maria: hoje não dá mesmo
(22:52) xarmus: mas venho muitas vezes a Lisboa em trabalho
(22:52) Ana Maria: pensei que vivias cá
(22:53) xarmus: queres mais fotos minhas?... aqui não se vê a cara
(22:53) Ana Maria: ok
(22:53) xarmus: é quase a mesma coisa... venho cá todas as semanas
(22:53) Ana Maria: em trabalho?
(22:53) xarmus: sim
(22:54) Ana Maria: tu és sempre assim bem disposto?
(22:54) xarmus: até costumo ser mais
(22:54) Ana Maria: então hoje não estás nos teus dias
(22:55) xarmus: mas hoje apetecia-me estar com alguém que não conheça... e estou um bocado apressado
(22:55) xarmus: queres falar ao telefone?
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:55) Ana Maria: podemos falar
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:56) xarmus: era mais fácil... para tentar dar-te a volta... mais sincero que isto... é difícil
(22:57) xarmus: o meu é *** *** ***
(22:57) A transferência de "**-**-** ***.JPG" está concluída.
(22:57) xarmus: aceita as outras
(22:57) A transferência de "**-**-** ***.jpg" está concluída.
(22:58) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:58) Ana Maria: o meu nº  *********
(22:58) xarmus: 3 já foram
(22:58) A transferência de "**-**-** ***.jpg" está concluída.
(22:59) xarmus: vou ligar-te agora... até já

Não me lembro exactamente da nossa conversa ao telefone, mas sei que tivemos uma conversa animada desde o primeiro minuto. Eu tenho uma ganda lata, sou muito divertido e sempre bem-disposto, e como sou directo e muito sincero em relação ao que pretendo ou do que podem esperar de mim, ela ficou fascinada com a originalidade da conversa. Eu consigo ser bem depravado e atrevido, sem ser porco, consigo chamar as coisas pelos nomes sem ofender ninguém. Só quando as mulheres são mais novas, é que às vezes não gostam da minha conversa, porque são inseguras e menos tolerantes, mas esta tinha 41 anos e estava bem resolvida de cabeça. Era uma mulher que trabalhava e vivia sozinha com um filho menor, entre os 6 e os 8 anos.

A vida dela, como todas as mães sozinhas, é trabalhar e cuidar do filho. O único dia que tem livre sem o filho é uma noite de 15 em 15 dias, e era exactamente essa noite. Inscreveu-se no site para ter alguma companhia e ir conversando com alguém depois de deitar o filho e antes de se deitar. Se não fosse a companhia da net, estas mães sozinhas tinham uma vida muito solitária. Se por um lado têm a companhia dos filhotes, por outro ficam completamente encarceradas em casa, sem forma de se divertirem. Levantar cedinho, tratar delas e dos filhos, pôr os filhos na escola e irem trabalhar, onde normalmente têm que estar às nove horas da manhã. Saem do trabalho às dezoito horas e vão buscar os filhos à escola e vão para casa para fazer o jantar, estar um cadinho com os filhos, deitar as crianças, irem uma horita para a net, e deitarem cedinho porque no outro dia recomeça tudo de novo. Claro que há variadíssimas situações dentro deste género. Com filhos, sem filhos, com familiares ou amigos que possam dar uma ajuda de vez em quando, com pais mais presentes ou completamente ausentes, ou mesmo inexistentes, mas conheço casos mesmo muito difíceis para mulheres que estão na situação de divorciadas.

Depois de uns minutos de boa conversa, lá comecei a tentar convencê-la sem ser melga, para que viesse ter comigo. Disse-lhe que a noite só podia ser agradável com ou sem sexo, que íamos rir muito, conversar, beber, e se ela se sentisse bem com isso, até podíamos dar umas beijocas boas e uns amassos. Ela que já estava farta de se rir com a nossa conversa, acabou por dizer que vinha ter comigo, mas que não queria ter sexo. Era tímida, ia sentir-se muito nervosa, e não tinha experiência nenhuma destes encontros com desconhecidos. Eu disse-lhe que era como ela quisesse. Não escondia que gostava de papá-la e se ela me autorizasse ia tentar seduzi-la, mas era incapaz de forçar alguma coisa. O que me excita mesmo, é sentir o desejo da mulher, sentir que ela está mesmo com vontade de se embrulhar comigo, e se a mulher não estiver para aí virada, a minha vontade fica muito relativa, e se ela me disser de caras que não quer mesmo, aí eu perco a vontade toda, e tiro dali o sentido. Eu preciso mesmo de sentir o desejo da mulher para ter vontade de passar ao ataque. Sem isso… nada feito.

– Ok.. disse ela… dá-me uma hora que eu vou ter contigo. É só tomar uma banhoca, vestir-me e já apareço aí. Desligámos. Aproveitei o tempo para dar uma arrumação no meu portátil e arrumar ficheiros. Quarenta e cinco minutos depois, comecei a preparar a casinha para receber a amiga. Guardar o portátil na mala, arrumar as papeladas do trabalho, e passar à preparação do espaço. Velinhas às cores, escolher um incensozinho afrodisíaco, abrir uma garrafa de bom vinho tinto e nivelar a temperatura ambiente nos 26º para estarmos mais descapotáveis.

A Ana Maria chegou por volta da uma da manhã, e depois de um abracinho e duas beijocas que gosto sempre de dar, lá nos instalámos na mesa da sala. Falámos de montes de coisas bem interessantes, sempre com muito humor e boa disposição. Contei-lhe algumas das minhas aventuras por terras da net e falámos também do site de encontros onde nos conhecemos. Ela disse-me que eu tinha histórias giríssimas, muita experiencia neste tipo de relacionamentos, e que devia escrever um livro que fosse uma ajuda para quem entra neste mundo sem saber onde se vai meter. Achei piada porque não era a primeira pessoa a dizer-me isso.

O tempo passou rápido, a garrafa já estava a chegar ao fim, e eram cerca das 3 da manhã quando a olhei nos olhos e lhe perguntei:
Eu - E se fossemos prá caminha foder até cair para o lado?
Ela - Eu até gostava, e ando mesmo a precisar, mas eu fico muito nervosa, e depois não sou como as mulheres que tu estás habituado a papar, como tu dizes. Nunca tive muita experiência, e devo ser uma desilusão para ti. Para além disso tudo, ando mesmo destreinada.
Eu - Ó minha linda… eu gosto delas passivas, e só tens que ser querida, permissiva, e se não for pedir muito…. Obediente. Hehehehehehehe. Eu trato de ti e de mim com muito carinho. E se me permitires, também gosto de me esticar um cadinho… mas não é obrigatório.
Ela - Esticar?? Como é isso?
Eu - Sei lá…. Ser um cadinho mais bruto, chamar-te puta, cadela… puxar-te os cabelos… ser mais selvagem….
Ela - HHuummmm… não sei se vou gostar disso.
Eu - Então ficamos pelas meiguices… mas olha que ias gostar. Quem experimentou… gostou. Dizem que eu até sou meiguinho a fazer maldades.
Ela - Logo vemos… experimentas… se eu não gostar… digo.
Eu - Linda… eu só faço o que gostares… eu gosto é de dar prazer.

Lá fomos para a caminha que é mesmo ali ao lado, e disse-lhe para se deitar e descontrair. Comecei a deliciar-me com aquela mulher de 41 aninhos com uma cara bem bonita, um corpinho muito bom para a idade. Primeiro despindo, e dando umas beijocas, e depois numa exploração de todos os recantozinhos. Ela foi uma querida, deixou fazer de tudo e colaborou sempre com muita entrega e muito desejo. Eu fui fazendo tudo com muita calma e sem forçar nada… sempre a deixar que o corpo dela pedisse o que vinha a seguir. Foi uma noite muito boa, e senti uma estranha sensação de conforto. Acho que ela se entregou mesmo de corpo e alma, e isso fez toda a diferença. Depois de ela se vir duas vezes e eu uma, e ao fim de uma hora e meia de prazer, lá acalmámos.

Dei-lhe umas festinhas e mais umas beijocas enquanto desacelerava o ritmo cardíaco e a respiração, e lá nos fomos levantando com uma sensação de satisfação muito gratificante. Depois da Ana se vestir, já eram cerca das cinco da manhã, demos mais duas beijocas e um abraço apertadinho.
Eu - Telefona ou envia mensagem quando chegares a casa… ok?
Ela - Ok… eu envio
Eu - Espero que a noite tenha sido agradável para ti como foi para mim.
Ela - Adorei
Eu - Bem disposta?
Ela - Muito. Fez-me muito bem.
Eu - Boa para guiar?
Ela - Sim… já estou bem.
Eu - Vai com cuidado, e se precisares de alguma coisa pelo caminho, apita que eu vou ter contigo.
Ela - Ok… és um querido.
Eu - tu também és uma querida… beijocas

Foi engraçado como tudo se passou naquela noite, e era mesmo viver uma situação destas que me estava a apetecer no inicio da noite.

8 comentários:

Anónimo disse...

Voltei a devorar de uma forma encantadora todas as suas palavras, grandes experiências, grandes histórias de vida.

Eu nunca estive com um desconhecido, receio...

Filipa

Xarmus disse...

Olá Filipa... entendo o teu receio. Pode ser arriscado e pode não ter perigo nenhum... mas através dos sites de relacionamentos podes travar conhecimento com alguém e depois podes ir conhecendo anonimamente através do msn. Mas o mais importante é... tens vontade?

Anónimo disse...

Isto dos sites de relacionamentos é uma coisa nova para mim, ainda não tive a dita coragem para me meter nestas andanças=)

claro que gostava, tudo o que é experiências novas eu sou fã, mas tudo a seu tempo! Sou nova tenho tempo.

Beijinho, Filipa

Xarmus disse...

Olá Filipa

Não sabia se esta tua resposta era para publicar ou não, mas não vejo mal em publicar. Quando quiseres contactar comigo sem que eu publique o que escreves, contacta-me directamente para o mau mail xarmus@hotmail.com. Sempre que quiseres que publique o que escreves, continua a fazer da mesma forma. Beijinho, xarmus

Anónimo disse...

A maneira como descreves as situações, dá vontade de experimentar, dá asas à imaginação, isso é uma realidade.....falta é a coragem.
Beijos
S.L.

xarmus disse...

E achas que é preciso coragem para passar um tempo agradável com um amigo? Tu até tens uma vantagem em relação a esta mulher... é que conheces o meu blog... ela veio ter comigo sem conhecer o blog.

Mas adiciona-me aos teus contactos de Skype... podemos conversar por lá um cadinho... beijocas

Sher Cane Cane disse...

45 anos, div com 2 filhas, desempregada a viver com os pais...

Vix....

É COMPLICADO SIM!!!!!

xarmus disse...

Olá Maria (Sher Cane Cane)

Pois... também não estás numa situação nada fácil... tu, e muita gente neste país. Estes filhos da puta destes ladrões que deviam governar o país e só se governam a eles e aos grandes grupos económicos, dão cabo da vida a muita gente.

E se nós (povo) não nos mexermos e não começarmos a revoltar-nos seriamente contra esta situação... vai piorar bastante.

Beijocas