Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


2.5.10

H005 Em casa dela

Estava a trabalhar no portátil, quando recebi um pedido de adição… aceitei… e entrou logo online…

(23:20) Vanessa: estás por aqui??
(23:22) xarmus: Olá
(23:22) xarmus: estou um pouco ocupado.... mas estou
(23:22) xarmus: em que site nos conhecemos?
(23:22) Vanessa: ********
(23:22) Vanessa: mas se estás ocupado
(23:22) Vanessa: conversamos quando estiveres mais folgado
(23:23) xarmus: não… na boa… qual é o teu nome lá?
(23:23) Vanessa: ********
(23:23) Vanessa: foste ver??!!
(23:23) xarmus: não...
(23:24) xarmus: mas fica aqui registado
(23:24) xarmus: e amanhã vou ver
(23:24) Vanessa: gostas muito de sexo?!!
(23:24) xarmus: adoro
(23:24) xarmus: e tu?
(23:24) Vanessa: por isso é que tens uma caravana??!!!
(23:24) xarmus: sou doidinho por um bom sexo
(23:24) Vanessa: eu adoro também
(23:24) xarmus: não só por isso… é o meu escritório móvel também
(23:24) xarmus: mas também dá muito jeito para dar umas quecas
(23:24) Vanessa: e vens-te sempre??!!
(23:25) xarmus: claro
(23:25) Vanessa: que bom
(23:25) Vanessa: adoro uma boa esporradela
(23:25) Vanessa: por cima de mim
(23:25) xarmus: ui... que maravilha
(23:25) xarmus: queres trocar umas fotos?
(23:26) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:26) xarmus: vê lá se gostas
(23:27) Vanessa: sim, és fotogenico
(23:27) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:27) xarmus: queres fotos do piço também?
(23:28) Vanessa: sim
(23:28) Vanessa: manda
(23:28) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:29) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:29) xarmus: gostaste?
(23:29) Vanessa: sim, agradou-me. Parece enorme
(23:29) xarmus: acredita que é mesmo
(23:29) Vanessa: tambem queria abocanha-lo
(23:30) xarmus: não tens nada para me enviar?
(23:30) Vanessa: e chupa-lo muito
(23:30) Vanessa: só tenho uma foto
(23:30) xarmus: se quiseres... vais mesmo abocanhá-lo... e fazer o que te apetecer com ele
(23:30) xarmus: já vi que nos entendemos bem
(23:30) Vanessa: por acaso, se fosse agora !!??
(23:31) xarmus: Claro… pode ser agora mesmo…
(23:31) xarmus: Estou em Lisboa
(23:31) xarmus: E tu onde estás?
(23:32) Vanessa: Em casa
(23:32) Vanessa: Queres cá vir?
(23:32) xarmus: isso era uma maravilha
(23:32) xarmus: vives onde?
(23:32) Vanessa: areeiro
(23:32) xarmus: optimo
(23:32) xarmus: Não estou longe…
(23:32) xarmus: Trocamos de contactos?
(23:33) xarmus: O meu é o *** *** ***
(23:34) Vanessa: *********
(23:34) xarmus: Vou ligar-te… já que nos vamos comer…
(23:34) xarmus: Podemos começar por ouvir a voz…
(23:34) Vanessa: estou com uma tesao daquelas !!!
(23:34) xarmus: Isso é maravilhoso… vou poder usar e abusar?
(23:34) Vanessa: Claro. Fazes o que quiseres de mim eu gosto de tudo
(23:34) xarmus: eu também estou com vontade
(23:35) Vanessa: até me veio agua á boca
(23:35 ) xarmus: hehehehehehehehehehe
(23:35) xarmus: ficaste a salivar por tudo quanto é buraquinho?
(23:35) Vanessa: mas gostava de te provar
(23:35) Vanessa: tens ar que chupas bem
(23:35) Vanessa : e adorava vir-me na tua boca
(23:35) xarmus: ui... adoro isso
(23:35) xarmus: fica prometido
(23:36) Vanessa: e comermo-nos sem compromissos
(23:36) xarmus: tudo bem… como eu gosto
(23:36) Vanessa: pois só assim nos divertimos
(23:36) Vanessa: imagina a minha boca nesse pau
(23:36) Vanessa: muito devagarinho
(23:36) xarmus: ui... nem me digas
(23:36) xarmus: já estou com um pau enorme
(23:36) Vanessa: só para sentir a crescer suavemente
(23:36) xarmus: hhuuummmmmmmmm
(23:36) Vanessa: na minha garganta
(23:36) xarmus: Bem… vou ligar-te para me dares a morada… antes que já nem consiga guiar com o piço a encravar o volante

Liguei-lhe… pouco conversámos. A ideia era mesmo foder até cair para o lado e não havia interesse de parte a parte em grandes conversas. Deu-me a morada e lá fui eu de gps a dar as coordenadas. Tinha feito o download de uma voz feminina inglesa que em vez de dizer vire à direita diz: you are so sexy… turn right and I give you my pussy as your prize… oohhhh you make me horny, de maneira que a vigem é sempre muito divertida.

Pelo caminho, fui a pensar em como tudo isto era estranho. Apesar de eu ter muita facilidade em engatar uma desconhecida para a própria noite, senti que não tive que me esmerar nada. O mais estranho disto tudo, era o facto de me ter convidado logo para ir a casa dela sem me conhecer de lado nenhum. De repente saltou-me à ideia uma notícia que tinha lido em que uma gaja atraía os homens a casa dela, e lá dentro estavam 3 gajos que o assaltavam. Quanto mais pensava, mais a certeza tinha de que havia ali qualquer coisa que não batia certo.

As vezes em que fui convidado para ir logo a casa delas, eram amigas de amigas minhas, que ao verem as minhas fotos e depois de as amigas lhes dizerem como eu era uma boa queca e de confiança, me contactavam a propor um encontro muitas vezes em casa delas. Nestes casos, se lhes perguntasse como é que elas tinham o meu mail, elas inventavam uma desculpa esfarrapada do tipo “não me lembro” ou confessavam que tinha sido uma amiga que lhes tinha falado em mim. Mas eu tinha perguntado a esta qual era o nick dela no site para onde lhe enviei a mensagem, e no decorrer da conversa de msn, fui ver se tinha sido eu a contactá-la. E tinha mesmo. Eu enviei-lhe uma mensagem bem picante e criativa com o meu mail, e ela tinha-me adicionado, o que invalidava a hipótese de ser uma amiga de uma amiga.

Era um bocado perigoso ir a casa dela, mas eu gosto mesmo de adrenalina e aventura da grossa, e como tenho arma e sprays de defesa, armei-me até aos dentes, e lá fui eu arriscar a mais uma loucura das minhas. Eu sou doido, mas muito cauteloso ao mesmo tempo, ou seja gosto de aventuras com muita adrenalina, mas vou o mais bem preparado possível. Não levei identificação nenhuma, nem dinheiro, nem cartões de crédito, apenas levei o telemóvel da net escondido e desligado, e deixei as chaves da autocaravana dentro de um saco de plástico escondido numa das cavas da roda.

Caso houvesse merda, não me podiam roubar nem a autocaravana nem nada que me fizesse verdadeiramente falta. Já tinha uma história preparada para o caso de ser mesmo apanhado e tentassem obrigar-me a falar. Tinha ido de táxi, e a prova é que não tinha chaves comigo, e fingia que pensava que tinha a carteira no casaco, e depois fazia de conta que ficava muito espantado por não a ter no casaco, e que possivelmente a tinha deixado cair ao sair do táxi, porque o facto é que não a tinha comigo também. Dizia-lhes que tinha enviado o número de telemóvel e a morada que ela me tinha dado para um amigo, para o caso de me acontecer alguma coisa a policia ter por onde procurar.

Estacionei relativamente longe de casa dela, e lá fui eu comer a donzela que parecia estar mesmo com o cio. Apesar destas desconfianças, Algo me dizia que ela queria mesmo ser toda fodida como deve ser, mas por outro também isso me soava a estranho, pelo facto de ela não me conhecer e não fazer ideia se eu daria conta do recado. Ou seja, desde o início que toda a postura dela, foi igual às pessoas que já me conhecem. Não me conhecendo, havia ali muita coisa que não batia certo. Por outro lado, se não fosse nenhuma armadilha e se houvesse uma explicação lógica, podia ser mesmo uma noite excelente.

As pessoas que gostam mesmo de sexo, sentem quando outra tem a mesma vontade, e senti isso da parte dela. Pareceu-me genuino o desejo dela. Liguei-lhe a confirmar o numero de porta e andar, e subi bastante concentrado para reagir com rapidez e determinação a qualquer situação que se me apresentasse. Subi em silêncio, pela escada, e ia dar um leve toque na porta, quando ela se abriu demorada e silenciosamente. Abriu-me a porta uma mulher linda, podre de boa, entre 30 e 35 anos, completamente nua, por baixo de uma camisa transparente um pouco abaixo da cintura. Tinha o triângulo de pelinhos na cona, o que me agradou bastante. Entrei em silêncio, e lá dentro, depois de ela fechar a porta, meti-lhe as mãos na cintura e dei-lhe duas beijocas na face:
-Xxxiiiiii mãezinha como tu és boa. Posso apalpar?
– Podes, claro… estás à vontade…
- Não estou muito à vontade não… mas depois de me explicares umas coisinhas… posso ficar mais à vontade. Posso usar o WC?
- Ao fundo do corredor.
Ela dirigiu-se para a sala, e eu na direcção oposta para o WC, na zona dos quartos. Tirei o spray de defesa do bolso e como quem vai conhecer a casa, fui entrando nos quartos e dizendo… - Tens aqui uma bela casa. Abri os roupeiros e fui vendo tudo o que poderia esconder alguém. Não havia dúvida de que estávamos só os dois em casa. Não havia varandas. A partir de agora era só estar de olho na porta da rua. Por fim entrei no WC e fui lavar as mãos. A casa de banho de alguém diz sempre muito em relação à pessoa que a usa. Se normalmente não passo cartão à arrumação da casa das outras pessoas, naquele caso era importante analisar a toca, para tentar perceber que tipo de bicho estava ali.

Quando é só uma pessoa a usar a casa é fácil perceber muita coisa. Tinha gosto em ter um ambiente agradável e confortável. A casa tinha muito pouca mobília, mas o que tinha estava com muito bom gosto. Era um bom sinal em todos os aspectos. Dirigi-me à sala, e ela estava sentada no sofá toda escancarada.
- Já te andei a cuscar a tua casa…. Bem fixe.
Puxei um “puff” para a beira do sofá e sentei-me no chão junto às pernas dela.
- Mãezinha… que corpinho. Tens uma coninha muito bonita.
- Bigada.
- Mas antes de me afiambrar a ti, vais ter que me esclarecer aqui umas dúvidas…
- Sim…
- A menina não sabe que é perigoso convidar desconhecidos para sua casa?
- Sei… mas eu senti que eras de confiança…
- Hehehehehehehehe… ganda lata.
- Serio… percebi pela tua voz…
- Mas quando me convidaste, foi no msn e antes de ouvires a minha voz.
- Mas também vi que eras fixe pela tua mensagem.
- Pois… mas tenho outra dúvida… convidas um gajo da minha idade para vir ter a tua casa foder-te… sem nunca teres visto uma foto… tens que concordar que está difícil de engolir. Nem sequer sabes se o gajo é bom de cama…
- Bem… eu vou contar-te a verdade… mas não me peças para dizer quem foi, porque eu não digo. Tu andaste ou andas a comer uma amiga minha, que me mostrou fotos tuas e me contou as quecas que deste com ela. Eu fiquei com muita vontade de te comer, mas não tive coragem de roubar o amigo à minha amiga. Quando recebi a tua mensagem que diga-se de passagem que é quase igual aquela que lhe enviaste, pensei que podia aproveitar sem nenhum de vocês saber. De qualquer modo ela nunca vai saber, até porque eu não te vou dizer quem é.
- Tudo bem…. É justo. Fico com curiosidade mas de facto não é importante saber quem é. De qualquer modo eu não lhe dizia nada.
-pois… também acho.
- E posso passar ao ataque?
- claro… fica à vontade.
- Então… com licença…
Agarrei-lhe nas ancas e puxei-a mais para a borda do sofá com as pernas abertas de modo a ficar com a coninha mesmo na borda do sofá. Deliciei-me a ver a cona dela já molhadinha a abrir-se lentamente enquanto lhe passava um dedinho muito suavemente, para logo de seguida encostar-lhe a boca. Comecei com uns beijinhos muito suaves, e fui explorando todos os recantozinhos com a língua muito ao de leve, e fui intensificando a pressão da língua e aproximando de sítios que as deixa completamente loucas, enquanto ia ouvindo a alteração da respiração, à mistura com gemidos de prazer…
- Nestas situações em que não conheço bem o corpo da parceira, costumo fazer um test-drive antes, mas se me fores dando dicas, eu adapto à tua sensibilidade…
- Tu não precisas de dicas… estás a ir muito bem.
Oiço sempre isto cada vez que proponho que me deem dicas.
Como já aprendi que as mulheres são muito diferentes em termos de sensibilidade no clítoris, bicos das mamas e outras partes do corpo, gosto de fazer um test-drive com a ajuda da parceira no sentido de afinar a pressão que exerço à sensibilidade da cada uma nas diferentes partes do corpo. Claro que isto deve ser feito com a ajuda da parceira, mas se não tiver ajuda, também me desenrasco, sentindo e ouvindo os sinais que me vão chegando do corpo dela. Eu sei bem ver quando uma cona gosta ou não gosta do que lhe estou a fazer.

Nesta altura está o leitor a pensar… que técnico que este gajo é… heheheheheheh. Mas eu explico. Como o que me dá prazer para além de desfrutar do corpo de uma mulher à minha vontade, é sem dúvida sentir o prazer dela, conseguir fazer as duas coisas ao mesmo tempo é o segredo para que tudo seja maravilhosamente prazeroso. É isso que se pretende.
- Deixa-me mamar nesse teu pauzão gostoso.
- Calma… um de cada vez… se te portares bem e me deixares deliciar-me até me apetecer, eu prometo que vou pensar no teu assunto, e até talvez te deixe mamar. Hehehehehe...

Humor sempre presente… (como se eu não estivesse doido para sentir, e vê-la mamar-me no piço cheia de vontade e desejo). Com o continuar das lambidelas e umas incursões com os dedinhos naquela cona gulosa, foi um instantinho enquanto ela se veio na minha boca.
- Agora já estou a perceber o problema da minha amiga.
- Problema? Que problema é que ela tem?
- Ela diz que está viciada em ti e está em pânico a pensar que podes desaparecer a qualquer momento, e que depois de ti vai ser muito difícil arranjar quem a satisfaça como tu fazes.
- Pois… não é só problema dela… tem mais assim.
- Andamos tão mal fodidas, é difícil arranjar um homem que seja bom na cama e que seja descomplicado. Mesmo quando não são nada de jeito na cama, são todos possessivos e extremamente ciumentos. Não acreditas o que às vezes temos que aturar para ter um piço, e na maior parte das vezes é uma decepção. Estou mortinha por levar com esse bem fundo na cona. Mas vamos para o quarto que estamos melhor.

Agarrou-me na mão e puxou-me para o quarto dela. Deitei-me na cama, e ela instalou-se confortavelmente para se deliciar a mamar-me no piço. Só faltou pôr o babete. Devo dizer que a rapariga também sabia o que fazia. Esteve a deliciar-se até querer e eu tive que pensar em problemas que tinha para resolver para não me vir na boca dela antes de penetrá-la.

Depois vem aquela cena muito romântica e sempre a propósito naquelas alturas, que é a aplicação do filho duma ganda puta do preservativo. Passando essa fase horrorosa, lá me deliciei a penetrar aquela maravilha de mulher, e a sentir o prazer dela a ser completamente furada até ao fundo pelo meu gostoso que parecia que ia rebentar a qualquer momento de tão rijo que estava. A coisa foi bastante prazerosa para ao dois, comigo sempre a fazer umas paragens estratégicas para não me vir antes da senhora.

Depois da rapariga se vir mais umas vezes, e de chamar pela mãezinha, tendo inclusive feito algumas observações de cariz religioso do tipo “ai meu deus que eu vou-me vir outra vez” ou “ ai Jesus que dás cabo de mim” lá decidimos dar descanso àquela valente coninha. Depois, a rapariga foi uma querida e perguntou-me se eu lhe dava leitinho na boca. Gostava muito de beber o leitinho e queria muito dar-me esse prazer. A ideia agradou-me de sobremaneira e passámos à prática. Vim-me que nem um leão na boquinha daquela mulher linda que foi uma maravilha. Ela estava mesmo com muita vontade de beber todinho, e quando uma mamada é feita com gosto, faz toda a diferença. Depois de descansarmos um pouco enquanto conversávamos lá nos levantámos satisfeitos e bem-dispostos e fomos à nossa vida.

Foi um episódio giro pelo facto de ter sido tão rápido e tão bom. Ter quem nos faça publicidade é de facto muito bom, mas é claro que é preciso merecer isso, e principalmente corresponder às expectativas, senão estamos a incorrer num acto de publicidade enganosa.

7 comentários:

R disse...

Concordo com ela, é difícil encontrar um homem que sabe tocar o nosso corpo, ou no mínimo se esforça para o conhecer… pena

Anónimo disse...

Gostava muito de conhecer a autocaravana....

xarmus disse...

Olá Anónima

Adiciona-me aos teus contactos de Skype ou envia-me um mail.

Beijocas

Anónimo disse...

Qualquer dia b quero conhecer essa "autocaravana"!!!!

Beijo

Lulu

xarmus disse...

Olá Lulu... é uma questão de combinarmos... faço visitas guiadas à autocaravana... hehehehehehe.

Beijocas boas

Anónimo disse...

Visitas guiadas?!
Individuias e/ou em grupo?

Háháhá


Beijo

Lulu

xarmus disse...

Sim... Individuais e em grupo. Faço descontos para grupos de mais de 3 amigas... Hehehehehe

Beijocas