Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


19.2.11

R007 Qualidade na variedade

Sou um adepto fervoroso da variedade sexual. Seja com parceiras habituais ou parceiras ocasionais.

No caso das novas parceiras, para além do prazer da sedução, da caça, da adrenalina do desconhecido e da aventura que é darmos uma queca com alguém que nunca vimos, partilha-se experiencias, aprende-se muito, e com isso melhora-se a qualidade da nossa performance sexual. Por outro lado, vivemos um sexo de qualidade pela diversidade de corpos, de idades e formas de trocar prazer.

Eu sou um homem que gosta de todo o tipo de sexo. Desde o sexo com carinho e paixão, passando pelos jogos sexuais mais variados, até ao sexo com dominação e submissão, e alguma violência à mistura. Para mim é tudo prazeroso desde que desejado por ambas as partes. Com as parceiras habituais, devido à confiança e cumplicidade, consegue-se atingir patamares de prazer difíceis de expressar por palavras.

Como nem todas as mulheres gostam de todo o tipo de sexo, em vez de ”forçar” uma mulher a ter determinado tipo de sexo comigo, e fazer o que não gosta, prefiro escolher a parceira pelo tipo de sexo que posso ter com ela. Até porque sendo eu um homem que gosta de agradar e dar prazer, tenho prazer em me adaptar ao tipo de sexo que determinada parceira gosta. Isto só é possível porque tenho parceiras para todo o tipo de sexo, se não tivesse, tinha a tendência (como maior parte dos homens faz) de tentar fazer com a parceira que está comigo coisas que me agradam, independentemente de lhe agradarem a ela.

Um exemplo. Se me vou encontrar com uma mulher com muito pouca experiência, tímida, e que normalmente gosta de um sexo meiguinho e carinhoso, não vou agarrá-la pelos cabelos, chamar-lhe puta e fodê-la à bruta. Neste caso, e como o que me dá prazer é dar prazer, vou saboreá-la com muita meiguice, e desfrutar do melhor que ela tem para me dar. Só assim consigo interagir com ela de forma que seja agradável para os dois. E porque não necessito de fazer com ela o que ela não gosta? Porque tenho outras, a quem os miminhos não dizem nada, e que gostam de ser agarradas pelos cabelos, amarradas à cama e serem abusadas com tudo o que me possa passar pela cabeça, com estalos à mistura, e esfodaçá-las todas enquanto lhes chamo uma panóplia de nomes feios.

Outro exemplo é o sexo anal. As mulheres com quem me embrulho seja da primeira vez ou repetições, ficam muito admiradas com a minha não insistência em lhes comer o cuzinho se elas disserem que não gostam. Eu costumo responder que não preciso de papar o cu a quem não gosta, porque tenho muitas amigas que adoram. Como diz uma amiga minha, um leão bem alimentado não é um animal perigoso. Com outros homens, elas dizem que não gostam, e eles insistem, ou forçam. A maioria dos homens, tem a tendência de querer fazer aquilo que lhes apetece, independentemente da vontade da parceira.

A quantidade e diversidade de parceiras, reflecte-se não apenas na qualidade da minha sexualidade, no sentido de ter parceira para qualquer tipo de sexo, como se reflecte na qualidade do sexo que ofereço a quem está comigo.

É também por isso, que para a grande maioria das mulheres com quem me embrulho, sou um querido, amigo, e um amante excepcional, e estão sempre prontas a trocar prazer comigo. Não tenho dúvidas em afirmar que a quantidade de parceiras sexuais, está directamente relacionada com a qualidade da minha sexualidade.

xarmus

2 comentários:

Marie disse...

compro ... ;)

xarmus disse...

Olá Marie

Não consigo comentar no teu blog. Não tens opção de comentar como anónimo, e nalguns blogs não consigo comentar com a minha conta Google. penso que será problema do teu blog já que consigo comentar noutros.

Beijo