Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


28.5.10

R002 Anonimato

A primeira vez que me encontrei pessoalmente com uma mulher que conheci na net, fiquei impressionado com a rapidez com que nos enfiámos na cama. Marcámos um encontro num local público. Eu ia algo nervoso, e quando nos encontrámos, perguntei-lhe se ela queria beber um café ou se queria passear, ao que ela me respondeu:
M - Foder.
Depois de ter apanhado tudo o que me caiu ao chão, e de me ter recomposto do choque, perguntei-lhe:
L - Onde?
M – Onde tu quiseres, não tinhas uma autocaravana?
L- Tenho, está estacionada ali à frente….
M – então vamos.

Mal entrámos na autocaravana, a mulher ajoelha-se, agarra-se-me às calças,  abre-me a braguilha, tira-me o piço para fora e começa a mamar de uma forma sôfrega e muito gulosa. Fiquei prontinho para o pior num instante e rapidamente passámos às hostilidades.

Deita-se, abre as pernas e diz: - lambe-me um bocadinho para eu ficar bem molhadinha (como se eu precisasse que me peçam.. hehehehehe). Ao fim de umas boas duas horas de excelente sexo, e depois de ela se vestir e sair porta fora, fiquei a pensar na sorte que tinha tido em ter encontrado uma mulher tão cheia de fominha e tão assumidamente desinibida logo à primeira. Fizemos sexo como se já o fizéssemos há anos. Impressionante.

Como a segunda, a terceira e as seguintes mulheres que conheci na net, e com quem fui para a cama foram idênticas, rapidamente vi que não tinha que ver com as mulheres em si, mas sim com o facto de a relação ser absolutamente anónima, e eu não as voltar a ver.

Ao longo destes anos, percebi que o anonimato é a palavra mágica nestas andanças das redes sociais de relacionamentos, principalmente no que toca a relacionamentos sexuais. Tem muitas vantagens e também tem desvantagens, dependendo do ponto de vista, dos interesses e objectivos de cada um de nós. O anonimato na net, faz com que aconteçam coisas e cria situações que de outra forma era impossível acontecerem.

A possibilidade de nos relacionarmos anonimamente uns com os outros, possibilita que nos mostremos sem mascaras, como realmente somos, como pensamos, o que queremos, e o que sentimos. Os preconceitos, as vergonhas, os tabus e outros factores que até então eram inibidores de nos mostrarmos como realmente somos, perdem grande parte do sentido.

É também esta característica que torna as conversas anónimas através da net muito interessantes. É evidente que nem toda a gente tem esta perspectiva, e pelo contrário, aproveita o anonimato para se mostrar aos olhos dos outros não como é, mas como gostaria de ser, ou encarnando personagens que servem os objectivos a que se propõem. (ler as historias H004 Mentiras perigosas e H003 Viver à conta).

É também devido ao anonimato que se torna tão fácil encontrar sexo na net. Como nos podemos encontrar uns com os outros sem que haja qualquer tipo de ligação social entre os intervenientes, tudo o que aconteça entre duas ou mais pessoas, fica no segredo dos deuses. Como não sabemos quem é determinada pessoa, e como não existem amigos em comum, não existe a possibilidade de voltarmos a encontrar essa pessoa, a não ser que seja de vontade mútua.

Esta característica dos encontros sexuais faz com que o relacionamento seja muito mais desinibido, e sem consequências futuras. A performance de uma mulher que tem sexo com um homem que sabe que se quiser não vai voltar a ver, e que ele está impossibilitado de voltar a procurá-la ou de poder contar a alguém que a conheça o que se passou entre os dois, é muito mais desinibida e despreconceituosa do que seria com alguém que conhecesse a sua identidade, ou com quem tenha amigos em comum.


Claro que isto depende das experiencias que cada um já teve, mas quando um homem e uma mulher com experiencia neste tipo de encontros sexuais se encontram, é um autentico descalabro. É sexo puro e duro, com requintes de malvadez, em que cada um faz o que bem lhe der na gana, e dá largas à invaginação. Se já tiver havido uma conversa prévia acerca do que se gosta, do que é permitido ou não, a coisa fica mesmo perfeita.

O anonimato nos relacionamentos da net, abre a um maior número de pessoas, possibilidades que até agora eram impensáveis no campo sexual. Relacionamentos entre pessoas com grande diferença de idade, relacionamentos com pessoas casadas, relacionamentos homossexuais, relacionamentos de sexo em grupo, relacionamentos swingers e relacionamentos entre pessoas com incompatibilidades a outros níveis, sejam físicas, de classes sociais, raças ou até incompatibilidades de personalidade. Como os encontros são de carácter puramente sexual e de apenas umas horas, possibilita o encontro sem levar em conta factores que poderiam ser incompatíveis a um relacionamento assumido perante a sociedade, mais alargado no tempo ou incompatíveis em relação a interesses ou objectivos de vida em comum. No fundo, as pessoas aproveitam o anonimato para fazerem aquilo que lhes apetece e que geralmente a sociedade condena. 

4 comentários:

Reflexos disse...

Partilhas o blog com as tuas amigas?! Ou com alguém que conheça a tua identidade? Ou é completamente anônimo?

xarmus disse...

Algumas das amigas que fui conhecendo ao longo destes últimos anos e que ainda tenho o contaco, sabem do meu blog, até porque fiz questão de lhes pedir autorização para publicar as fotos delas e os históricos de msn. A minha identidade quase ninguém conhece, porque quem conhece a minha identidade não sabe que tenho o blog, e quem sabe que tenho o blog, não conhece a minha identidade. Estes encontros sexuais são sempre anónimos, e contam-se pelos dedos de uma mão, as amigas que conheci na net, e a quem revelei a minha verdadeira identidade.

(not yet Boss) AC disse...

SImples e descomplexado, uma boa aula sobre relacionamentos online para aprendermos.

xarmus disse...

Olá gajo... a ideia é essa mesmo.