Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


13.4.12

IS005 Use as palavras para ter mais prazer

Achei este texto engraçado pela originalidade. É raro encontrar um texto que motive as pessoas a dizerem palavrões. O facto é que quase todos nós gostamos de chamar “nomes” e dizer e ouvir palavrões durante o acto sexual.

“use as palavras para ter mais prazer

O sexo é um território onde as regras do dia-a-dia não se aplicam. E no campo das palavras, esqueça a menina bem-comportada que há dentro de si

Sabia que as palavras têm um enorme potencial erótico? Quantas vezes experimenta o desejo de se libertar e dizer certas 'coisas' ao seu parceiro, mas inibe-se pois tem medo de soar rídicula? Pois bem, este é o dia destinado a falarem 'mal'. Se está nervosa, aqui ficam algumas dicas:
Esqueça aquilo que aprendeu. É verdade que na vida quotidiana é feio dizer palavrões, mas na cama essa máxima não se aplica.
Antes, pratique quando estiver sozinha: imagine-se a ter relações com o seu companheiro. Quais as palavras é que a podiam excitar caso as ouvisse? E a ele, o que tem vontade de dizer?
Comece devagar. Não é do dia para a noite que se vai conseguir libertar por completo, mas agora vai dar os primeiros passos.
Encontre o tom de voz: pode sussurrar, gritar, falar mais depressa ou mais devagar. O fundamental é que se sinta confortável”

Sofia Martinho/Activa

Não há dúvida que o uso de nomes feios e palavrões durante o sexo aumenta o prazer, e em certa medida aumenta a intimidade entre os parceiros.

Há mulheres que não gostam que lhes chamem “nomes” durante o sexo, há outras que até gostam mas têm vergonha de dizer que gostam, e há outras que adoram ouvir e dizer tudo o que há de pior e mais depravado.

Uma das razões pelas quais as mulheres não gostam que lhes chamem “nomes”, é porque acham uma falta de respeito para com elas. Eu penso que a falta de respeito não está nas palavras, mas sim nos actos e naquilo que cada homem pensa delas. Há homens que podem não chamar “nomes” às suas parceiras durante o sexo, mas nem por isso as respeitam como mulheres, e como seres humanos. São normalmente homens preconceituosos que apesar de as paparem, condenam o seu comportamento.

Eu sou liberal e despreconceituoso, e respeito as mulheres por muito depravadas que sejam na cama, e por mais parceiros que tenham. Acho que cada um de nós é livre de ter sexo onde, como, quando e com quem quiser, as vezes que quiser, e não é por isso que deva deixar de merecer o respeito dos outros.

Dito isto, eu que respeito as mulheres, as suas vontades e os seus limites, adoro chamar “nomes”, usar e abusar das minhas parceiras, não tendo nada a ver com desrespeito. Eu admiro muito mais uma mulher bem resolvida, sincera, livre de espírito, e que assuma claramente os seus gostos e vontades, do que uma mulher que seja hipócrita e falsa em relação à sua sexualidade… mas respeito todas.

12 comentários:

T* disse...

Nunca consegui perceber porque é que há homens que gostam de um tipo de mulheres mais desinibidas para foder, mas para casar não pode ter tido mais do que 5 homens(é verdade, li isto num blog)na vida toda.
O meu ex adorava chamar-me de puta, eu também gostava, mas nunca admiti isso a uma amiga por exemplo.

xarmus disse...

Deixem-se lá de vergonhas, e digam aqui o que gostam de dizer ou de ouvir durante o sexo.

No meu caso, depende muito de quem está comigo e do tipo de relacionamento que temos, mas pensando apenas naqueles relacionamentos em que vale tudo menos arrancar olhos... ouço...
"Fode-me a cona toda"; "fode a cona à tua puta"; "dá-me cabo dessa puta dessa cona"; "enterra-me na cona e chama-me puta"; "fode gostoso a sua puta" ou "me fode e me chama de cachorra" e por aí fora... isto na língua oficial portuguesa... internacionalmente é mais "fuck me you sexy mother fucker"

Também há quem use linguagem religiosa, do tipo... "Ai meu deus... nunca tive tanto prazer na minha vida"; "Ai jasus que me vou esporrar toda" ou mesmo "fode-me por amor de deus" ou em inglês... "Ohhh my good".

Isto, para aquelas senhoras que ainda conseguem dizer alguma coisa, porque normalmente entram em transe, viajam dali para fora e só gemem ou gritam.

Se estou à vontade com quem está comigo, ou fui autorizado a servir-me à vontadinha... gosto de chamar nomes como puta, cadela, cabra, vaca, cachorra (tadinhos dos animais), e gosto de sussurrar ao ouvido as maldades que lhes vou fazer a seguir... do tipo... "gostas de apanhar na cona, não gostas minha puta... agora vou amarrar-te à cama bem esticadinha, e vou fazer-te tudo o que me passar por esta cabeça depravada, e se te portares mal, apanhas"

É claro que maior parte delas ouvem estas coisas, mas nem respondem (estão nem aí, né?)... andam a flutuar num mundo só delas, e quando descem à terra, voltam com um sorriso de felicidade, que até parece que acabaram de nascer.

Está dado o mote... vá lá, não se acanhem. Quem não gostar de ouvir ou dizer palavrões, também pode dizer porquê... partilhem com outros de forma anónima, o que pensam acerca do tema.

xarmus disse...

Olá T*

Obrigado pela participação... adiantaste-te ao meu comentário. Como os comentários entram por ordem de chegada, e quando escrevi o meu ,ainda não tinha lido o teu.

É verdade, a nossa sociedade e educação cristãs fazem dessas coisas. Felizmente são cada vez menos os homens que pensam assim, e muitos deles são enganados, claro. Julgam que a mulherzinha só teve dois homens na vida, e na volta a senhora atacava no intendente... hehehehehe.

Mas embora devêssemos ajudar a acabar com esta forma de pensar, aconselho sempre as minhas amigas e tentarem perceber como pensa o seu pretendente, e a albardarem o burro à vontade do dono.

Para as mulheres verdadeiramente liberais, é melhor não fazerem isso, porque de qualquer modo não conseguiam conviver com um espécime desses.

Mas admitiste agora que é muito bom... obrigado e um beijo

ღ Míìh..ღ disse...

Ahhh é delicioso ouvir e falar.
E quando é sussurrando no ouvido.

Hummmmm!Simplesmente delicioso

Beijos

Freya disse...

Eu gosto que me chamem nomes e de os chamar!! E delicioso!

Anónimo disse...

O texto relaciona uma mulher bem resolvida, sincera, livre de espírito, com o "chamar nomes" durante o processo de sedução no acto em si.
Mas o contrario não é necessariamente verdade. Sim para se chamar nomes é necessario ter desmistificado uma série de tabus.

O que não quer dizer que muitas que não chamem não tenham ja tabus desmistificados, não chamam porque não acham excitante podem gostar de outras coisas.

julia

xarmus disse...

Olá Julia...

Desculpa só agora responder, mas quando recebi o comentário só tive tempo de o aprovar, nem sequer o li.

Não sei se percebi bem o que quiseste dizer, mas deixa-me rectificar umas coisinhas...

O texto não relaciona uma mulher bem resolvida, sincera, livre de espírito, com o "chamar nomes"... o que eu disse foi..."Eu admiro muito mais uma mulher bem resolvida, sincera, livre de espírito, e que assuma claramente os seus gostos e vontades, do que uma mulher que seja hipócrita e falsa em relação à sua sexualidade... mas respeito todas."... e até compreendo quem seja hipócrita por vergonha.

... e também não é durante o processo de sedução... é mesmo no acto em si, embora eu ás vezes também goste de usar no processo de sedução... mas como isso não é a atitude normal, nem foi isso que eu disse. Eu, como sou muito directo e gosto de me esticar, às vezes tenho um tipo de sedução mais javardo... mas há quem goste, e eu também só uso se a minha perspicácia me aconselhar.

Aceito perfeitamente que uma pessoa bem resolvida não ache graça aos "nomes", até porque mesmo eu, que à partida sou um depravado, nem sempre me sinto motivado pela minha parceira do momento a chamar-lhe nomes. É tudo muito relativo.

um dia, uma amiga muito com quem gosto muito de estar, disse-me, e está escrito numa conversa deste blog, que não gostava que eu dissesse que a ia foder, preferia que eu dissesse fazer amor, mas gostava que eu a chamasse de puta.

Isto mostra bem como tudo é relativo.

Beijo e obrigado pela participação

xarmus disse...

Olá ღ Míìh..ღ e Freya... eu também gosto muito... adoro tudo isso, quando se pode estar à vontadinha com alguém.

Anónimo disse...

Gosto do tema. Eu confesso que isto era daquelas coisas que me fazia alguma confusão. Não é muito normal nós gostarmos que nos chamem nomes, digo eu. Daí muitas mulheres falarem nisso como uma falta de respeito. Depois é a associação que estes nomes podem ter com a vulgaridade, e não se pode negar, que as mulheres precisam sentir-se confortáveis e seguras. No entanto, no que toca ao sexo, o contexto é diferente, o momento é diferente e lá está, tudo depende da confiança que temos pelo outro para poder ter esse comportamento. Inicialmente fazia-me confusão, porque nunca tinha, efectivamente, sentido o que é no momento de excitação ouvir esses nomes e o quanto contribuiu e bastante, para nos envolvermos ainda mais. Independentemente de tudo acho que isto depende da confiança e cumplicidade que se tem com o outro. É possível que se goste só que determinada pessoa chame esses nomes, e com outras já não.
Sobre o gostar de mulheres sinceras, livres de espirito e que assumam claramente os seus gostos e vontades, acho muito bem. Mas na hora da verdade, como diz a T., e muito bem, os homens tendem a julgar esse tipo de mulher, que tais como eles também têm preferências, gostos e vontades. No entanto, infelizmente, tenho a dizer-te que a maioria dos homens pensa assim. E é vergonhoso o quanto burros são. Mas tenho dito, devemos estar atentas aos sinais. Homens que pensam assim simplesmente não são homens para mulheres sinceras e livres de espirito.

Beijinhos querido,

Rakel *

xarmus disse...

Mai nada...

Anónimo disse...

Xarmus lindo,

tu sabes, comigo podes chamar o que quiseres, quando e como quiseres, desde que seja de Puta para cima ... mas sem esquecer os mimos!

chupava-te esse caralho todo agora

Helena

p.s.-desculpa irem como anonimos os últimos comentários, mas não consigo enviar desde a minha conta. kiss kiss

xarmus disse...

Olá delicia... eu sei que és uma querida e que me deixas dizer e fazer tudo.. e isso dá-me mesmo muito prazer.

hhuuummmm... nem me digas. E eu deixava-te chupá-lo até quereres... hehehehehehehe... coisa boa.

Não tem problema querida... a mim também me acontece ter que comentar como anónimo noutros blogs, por não conseguir comentar a partir da minha conta do google. Acontece aos melhores... hehehehehe

Beijo gostoso