Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


8.5.10

H006 Farmville

O prazer era indescritível. A pele com pele, o sentir as mamocas encostas ao meio peito, e os gemidos de prazer dela, deixavam-me completamente louco de prazer. Ela estava toda entregue, com muita vontade de me dar a coninha toda, e eu penetrava-a lentamente…
Toca um telemóvel…
Parámos por uns segundos, e depois de nenhum de nós se mostrar interessado em ir atender, continuámos a deliciar-nos um com o outro.
O telefone que tinha tocado era o dela, e eu senti que ela estava preocupada com a chamada.
Eu - queres fazer um intervalo? Tu vês quem era e eu fumo um cigarrinho.
Ela - ok…
Pegou no telefone e disse:
Ela - Estranho… ninguém me telefona às duas da manhã. Vou retribuir a chamada, pode ser alguma coisa importante.
Ela - Está? Então miga… ligaste-me, algum problema?
Amiga - ( sem ouvir o interlocutor)
Ela - Claro miga, eu dou-te a password e vais lá tu. Neste momento não tenho aqui o portátil. Tens onde apontar? *********** beijo miga.
Eu - Algum problema?
Ela - Não. Era uma amiga minha que precisa de ir à minha quinta apanhar as uvas, pois juntei-me à co-op farming dela e só falta 1 hora para acabar o tempo para termos direito a prémio!
Eu - Como????
Ela - Farmville…
Eu - Apanhar uvas às 2 da manhã???
Ela - Pois… não estás a ver… há gente muito viciada neste jogo. Conheces?
Eu - Já ouvi falar… mas para mim esses jogos são como levar no cu… é melhor não experimentar… posso gostar…. Hehehehehehehehe
Ela lá me explicou como funcionava o Farmville, e conversámos um pouco acerca de como o jogo acaba por condicionar a vida das pessoas.
Eu estava pasmado com o que ela me contava.
Eu - Mas tu pelos vistos também gostas?
Ela - Sim, aquilo é giro, mas não estou viciada no jogo, só lá vou quando tenho tempo livre. Não sou daqueles que põem despertador para as 4 da manhã para ir apanhar tulipas.
Eu - Passamos ao segundo assalto?
Ela - bora…
Comecei do início outra vez… a beijar e lamber muito suavemente aquela coninha deliciosa, que apesar de já se ter vindo duas vezes estava desejosa de mais. Já estava a sentir a alteração na respiração dela, quando….
Ela- desculpa… dá-me só um minuto.
Pega no telemóvel…
Ela - Está miga… faz-me um favor…. Dá comida ao meu cão.

17 comentários:

Anónimo disse...

LOL, não acredito! Há pessoas com as prioridades trocadas! Alguma vez eu iria deixar um homem prontinho a dar e receber para ir jogar um jogo?!?!!

Xarmus disse...

Bem... ela não deixou o homem, pediu só um minuto. Já que a amiga ia à quinta dela apanhar as uvas, podia dar comida ao cão. Mas o que é engraçado, é que ela apesar de não estar viciada, teve a preocupação de se lembrar de que não tinha dado comida ao cão. Depois do telefonema... voltou e pôs-se logo a jeito. hehehehehehe

paula disse...

O poder das redes sociais é mesmo viciante :D

Anónimo disse...

"Amor é propriedade. Sexo é posse. Amor é a lei; sexo é invasão.

O sexo vem antes. O amor vem depois. No amor, perdemos a cabeça,
deliberadamente. No sexo, a cabeça nos perde. O amor precisa do
pensamento. No sexo, o pensamento atrapalha.

O amor é uma construção do desejo. Sexo não depende de nosso desejo;
nosso desejo é que é tomado por ele. Ninguém se masturba por amor.
Ninguém sofre com tesão.

O amor vive da impossibilidade — nunca é totalmente satisfatório. O
sexo pode ser, dependendo da posição adoptada. O amor pode atrapalhar
o sexo. Já o contrário não acontece. Existe amor com sexo, claro, mas
nunca gozam juntos.

Amor é um texto. Sexo é um desporto. Amor não exige a presença do
"outro". O sexo, mesmo solitário, precisa de uma "mãozinha". Certos
amores nem precisam de parceiro; florescem até na maior solidão e na
saudade. Sexo, não — é mais realista.

O amor tem algo de ridículo, de patético, principalmente nas grandes
paixões. O sexo é mais quieto, como um cowboy — quando acaba a
valentia, ele vem e come. Eles dizem: "Faça amor, não faça a guerra".
Sexo quer guerra. O ódio mata o amor, mas o ódio pode acender o sexo.
Amor é egoísta; sexo é altruísta.

O amor fala muito. O sexo grita, geme, ruge, mas não se explica.

Amor é literatura. Sexo é cinema. Amor é prosa; sexo é poesia. Amor é
mulher; sexo é homem — o casamento perfeito é do travesti consigo
mesmo.

Não há "saunas relax" para o amor, onde o sujeito entre e se apaixone.
No entanto, em todo bordel, finge-se um "amorzinho" para iniciar. O
amor virou um estímulo para o sexo.

O problema do amor é que dura muito, já o sexo dura pouco.

O perigo do sexo é que você pode se apaixonar. O perigo do amor é
virar amizade. Com camisinha, há "sexo seguro", mas não há camisinha
para o amor.

O amor sonha com a pureza. Sexo precisa do pecado. Amor é a lei. Sexo
é a transgressão. Amor é o sonho dos solteiros. Sexo, o sonho dos
casados.

Amor precisa do medo, do desassossego. Sexo precisa da novidade, da
surpresa. O grande amor só se sente na perda…"

Anónimo disse...

Gostava de conhecer esta pessoa que escreveu isto. Muito lindo. Palavras simples que descrevem a complicação pura e dura. Parabéns pelo texto.

xarmus disse...

O meu mail está na página principal por baixo de "acerca de mim"... escreve-me

Anónimo disse...

Olá, o comentário podia, perfeitamente, ser para ti. Mas, não é. É para o anónimo que escreveu o texto acima apresentado. No entanto, também estás de parabéns.

xarmus disse...

Entendido. De facto não me fez muito sentido a "complicação pura e dura"... mas assim faz todo o sentido... peço desculpa pelo equivoco. tambem achei o texto muito bom. Eu desconfio de quem seja, mas não tenho a certeza.

Anónimo disse...

Esta é a minha historia favorita sem duvida.
Ja percebi que outras/os leitores gostam da "joana cabrita" mas para mim a "farmville" é o top, é hilariante.

um beijo
julia

xarmus disse...

Olá Júlia... claro que me fartei de rir. Mas mostra bem como as pessoas ficam agarradas a estas coisas. Os jogos são feitos assim. Se ela não desse comida ao cão, o cão fugia e ela ficava sem cão que tanto trabalho lhe deu arranjar.

Beijos

Clara disse...

OMG!!!!! o que eu me ri a ler isto....

Santa paciência e a tua LOOOOL

Beijinhos Clara

xarmus disse...

Ainda não viste nada... hehehehehe

Anónimo disse...

Bem......esta história é muito engraçada, sem duvida. Somos todos tão diferentes e ainda bem.....
Beijos
S.L.

xarmus disse...

Olá S.L.

Sim... é verdade que somos muito diferentes... e também acho isso muito bom.

Beijoca boa para ti... e obrigado pelos teus comentários

Sher Cane Cane disse...

hehehehehehehehe
não jogo farmville, jogo coisas bem piores LOL!!!!!!!!!!!!!!

MAs nas circunstâncias dela seria a última coisa de que me lembraria!!!!

Fantástico!!

xarmus disse...

Agora deixaste-me curioso com as coisas bem piores que jogas... queres explicar melhor??

Anónimo disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAH
muito bom

Beijo molhado

SV