Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


4.4.12

IS002 Masturbação

Apesar de ser bastante básico e muito óbvio para mim, não quis deixar de publicar este artigo que encontrei num site brasileiro (mdsaude) acerca da masturbação. Pode ajudar outros a ver este tema com outros olhos. Sei que sou lido por jovens, e a eles pode dar muito jeito.

Dei uns toques no texto, porque não concordo com as alterações do acordo ortográfico.

Masturbação

é o acto de estimular a própria região genital de modo a obter prazer sexual. A masturbação é geralmente feita pela própria pessoa com as mãos, mas também pode ser feita com objectos ou com o auxilio de parceiros(as). Neste texto vamos abordar a masturbação masculina e a masturbação feminina do ponto de vista médico.

Homens e mulheres sentem necessidade de se masturbar, porém, por vivermos em uma sociedade machista e conservadora, a masturbação feminina ainda é menos aceite que a masculina. É muito mais fácil, por exemplo, os pais aceitarem que seu filho adolescente se masturbe com frequência do que sua filha. Enquanto os rapazes conversam abertamente sobre masturbação no início da adolescência, este tema não é tão natural entre as meninas. Conforme a maturidade vai chegando, as mulheres começam a ser tornar sexualmente mais seguras e a masturbação torna-se mais comum, apesar de muitas não terem coragem de admitir.

A masturbação pode iniciar-se ainda quando bebé, fazendo parte do processo de conhecimento do próprio corpo. Algumas crianças aprendem cedo que a estimulação dos órgãos genitais provoca prazer, e o fazem inocentemente, sem que haja fantasias sexuais por trás. Os pais não devem ficar desesperados se seus filhos pequenos se masturbarem. Raramente há intenção sexual por trás e uma reacção violenta pode causar traumas. Crianças que se masturbam com frequência podem estar passando por períodos de stress que os pais não têm conhecimento. A masturbação intencional para alívio das tensões sexuais começa entre os 10 e 14 anos de idade.

A masturbação, principalmente masculina, é mais comum na adolescência. Alguns jovens podem se masturbar diariamente, às vezes mais de uma vez por dia. A necessidade de se masturbar diminui com a idade, mas permanece por toda a vida, mesmo com pessoas casadas. O fato do parceiro(a) se masturbar não significa necessariamente que haja insatisfação na vida sexual do casal. A masturbação e o sexo com penetração são actos sexuais diferentes e complementares.

Como é feita a masturbação?

A masturbação é na maioria dos casos uma actividade individual onde o homem, ou a mulher, usam as mãos para obter estimulo sexual dos seus genitais. A masturbação também pode ser feita com o auxílio de um(a) parceiro(a). Muitas mulheres têm dificuldades em atingir o orgasmo apenas com a penetração, sendo a estimulação directa do clítoris uma opção para melhorar a qualidade da vida sexual do casal.

A maioria dos homens usa apenas as mãos para se masturbar, enquanto que nas mulheres é comum o uso de métodos como vibradores ou outros objectos. Um dos raros problemas de saúde da masturbação ocorre quando há penetração com objectos, seja na vagina ou ânus. Estes podem ferir e ficarem presos nas cavidades, causando dor e constrangimento. Deve-se evitar a masturbação com objectos que não feitos para tal propósito. Existem no mercado de produtos eróticos masturbadores masculinos e femininos que auxiliam a masturbação sem causar riscos à saúde.

Mitos sobre masturbação

Há indícios que o homem e a mulher se masturbam desde o início dos tempos. Existem peças arqueológicas com mais de 6000 anos que apresentam claramente imagens de homens e mulheres se masturbando. Entretanto, ao longo dos tempos e das diferentes sociedades, o acto de se tocar ganhou interpretações diferentes. Desde o século 17, as sociedades mais religiosas e conservadoras têm sido cada vem mais intolerantes com a masturbação, classificando-a como algo pecaminoso e errado. É muito comum ver religiosos procurarem na bíblia passagens que possam ser interpretadas como prova de que o acto é errado. Junto com essa condenação começaram a surgir mitos sobre possíveis malefícios da masturbação para a saúde. Para se ter ideia de alguns absurdos, nos séculos 17 e 18 a igreja católica chegou a considerar a masturbação um pecado pior que o incesto, algumas sociedades consideravam o acto um crime com penas duríssimas e até médicos lançavam livros versando sobre supostas doenças causadas pelo acto de se masturbar.

Muitos desses mitos, criados com intuito de demonizar a masturbação, surgem através de distorções e manipulações de alguns factos. Por exemplo, a relação com a acne é facilmente difundida por ser a adolescência a época em que a explosão hormonal tanto provoca o aparecimento das borbulhas, quanto um maior desejo de se masturbar. O mesmo vale para a ginecomastia, que é mais comum em adolescentes. A relação com a loucura provavelmente surgiu pelo facto de pacientes com demência ou doença psiquiátrica grave perderem a inibição e se masturbarem em público. O mito do vício é outra interpretação equivocada dos factos. Realmente algumas pessoas criam compulsão pelo acto, masturbando-se mais de 10 vezes por dia. O comportamento compulsivo, porém, é comum no ser humano e não é desencadeado pela masturbação. Existem pessoas que são compulsivas em lavar as mãos, e não é por isso que vamos considerar o acto de lavar as mãos viciante.

Estes são apenas alguns mitos, existem muitos outros. A masturbação não causa nenhum problema à saúde, seja física ou mental; ela, na verdade, pode até trazer benefícios como veremos mais à frente. A opinião actual da comunidade médica é de que a masturbação é natural e saudável em todas as idades e sexos, contanto que não seja compulsivamente ou em público. Se a masturbação não interfere no seu dia a dia e não atrapalha sua vida sexual e profissional, ela é um acto inocente e seguro de se obter prazer.

Benefícios da masturbação

Além de não fazer mal, a masturbação é benéfica em vários casos. Pessoas que se masturbam têm um maior conhecimento do próprio corpo e costumam ter vida sexual mais saudável e satisfatória. Pessoas sexualmente reprimidas podem apresentar melhora da qualidade da vida sexual se começarem a se masturbar.

A masturbação ainda apresenta os seguintes benefícios:

- Ajuda mulheres que têm dificuldades em ter orgasmo
- Ajuda homens que apresentam ejaculação precoce
- Melhora os sintomas da tensão pré-mestrual
- Reduz o stresse
- Melhora a qualidade do sono
- Alivia cólicas menstruais

Apesar de ainda não ser plenamente comprovado, estudos mais recentes mostram uma relação entre a frequência de ejaculações e a redução da incidência do câncer de próstata. Homens que apresentam mais de 20 ejaculações por mês, seja em actos sexuais ou por masturbação, parecem apresentar menor risco. Alguns trabalhos mostram que a "protecção" contra o câncer é mais forte quando esta frequência de ejaculação inicia-se antes dos 20 anos.

www.mdsaude.com

19 comentários:

Patrícia disse...

Tema muito pertinente. Conhecer o próprio corpo liberta. Dúvida: Em que pensam homens e mulheres enquanto se masturbam? Concentram-se só nos gestos que fazem. Fantasiam?

xarmus disse...

Pois.. essa também é uma pergunta muito pertinente. Eu, como não me masturbo sozinho há uns 10 anos, sou um caso especial. Normalmente basta-me interagir com quem está comigo. Mas quem o faz sozinho, tem mesmo que fantasiar... acho eu.

Uma vez estive 20 dias sozinho na selva tropical primária na Costa Rica na zona fronteiriça com a Nicarágua, e pensei que era ali que ia mesmo que ter que bater umas... mas nem mesmo assim me apeteceu. Estava num ambiente completamente hostil e muito perigoso e para além de ter que estar muito atento para me manter vivo e de boa saúde, estava muito concentrado nas fotos maravilhosas que tirei.

Mas apesar de saber que os leitores não gostam de se expor, lanço daqui um desafio a que cada um diga o que pensa ou o que fantasia quando se masturba. Podem fazê-lo de forma anónima, escolhendo anónimo na caixa de comentários.

Um beijo para ti minha querida e abreijos para todos

Anónimo disse...

Bom tema. Ora aqui está uma conversa que muitas vezes, nem entre amigas intimas, isto é, aquelas amigas que partilha-se pormenores sexuais e tal, se fala.

Tudo o que está escrito no post, e efectivamente verdade e válido.

Mas muita coisa depende de diversos factores. Há mulheres que sentem prazer em fantasiar com aquilo que mais gostam ou gostariam de fazer na prática sexual. Há quem goste ou precise da ajuda do vibrador, ou de outros objectos menos próprio eheh. Outras mulheres só se concentram nelas e há aquelas que até vêm pornografia. Há mulheres que têm de simular gemidos para começar a sentir excitação. Outras que procuram todas as suas zonas erógenas e só por final se dedicam ao seu clitóris. Há quem só se concentre no clitóris mesmo e têm diversas técnicas, muito giras por sinal, para se estimularem. E há simplesmente aquelas que só pensam, e conseguem contrair os músculos pélvicos e sentir muito prazer.

No entanto a masturbação é um acto de prazer físico e mental. E tanto é benéfico para o homem como para a mulher. Sei de casos de mulheres que são sexualmente activas e nunca se masturbaram, porque “este é papel dele/dela”, “é uma vergonha, que nojo”, ou “eu não sei como se faz”…etc. No entanto, é mais que lógico que uma mulher que sabe os seus pontos “fracos” (leia-se fraco no sentido de muito prazer) é sinal que possa ser um pouco exigente para ter prazer. Se assim o for, as suas necessidades serão bem controladas e a sua busca por prazer até pode ser bem racional.

Outro ponto é, muitas mulheres até são curiosas e gostariam de o fazer mas não sabem. A masturbação masculina é algo que se subentende facilmente, nem que seja pelos putos na adolescência, adorarem dizer ao mundo todo lá na escola ou no bairro que se masturbam e é um máximo, e que agarra assim e faz assado. Já uma miúda nessas idades, não o pode fazer nem perguntar que será logo apedrejada em praça pública e vista como uma devassa e louca. Mas também, hoje em dia já vivemos numa sociedade que a mulher até tem um ponto de vista das coisas, e pode partilhar sem ser julgada. Mas eu, salvo erro, ainda não vi nos muitos artigos de revistas em que o publico alvo é feminino, com dicas práticas sobre masturbação feminina individual.

Beijinhos

Rakel*

xarmus disse...

Olá Rakel*

Obrigada pelo teu contributo. Eu vou procurar textos acerca da masturbação feminina e prometo que publico.

Beijos

Anónimo disse...

Gostaria de acrescentar outro beneficio extremamente útil na masturbação feminina, falando por mim, sempre que tenho enxaquecas, masturbo-me (ou tenho relações sexuais), é impressionante como desaparecem.

Comecei por descobrir o meu corpo a partir dos 4 anos masturbando-me. Recordo que tinha imenso prazer e repetidamente. Hoje adulta normal e mãe conheço bem o meu corpo, sei o que me dá prazer e o que me faz ter orgasmos. Por mais que o nosso parceiro conheça o nosso corpo, o nosso toque é imprescindivel, por vezes.

Muito bom tema, há que haver abertura sexual. Viver uma vida reprimidas, é triste. Fala-se ou falava-se muito que as mulheres não tinham prazer, ou têm dificuldade em ter um orgasmo, mas penso que é por falta de conhecimento do seu corpo, ou por não ousarem tocar-se. É claro que por vezes não basta a penetração. Conseguir ter prazer vaginal, clitoriano e anal, ai ai é do melhor. Mulheres atrevam-se a tocar-se, a conhecerem-se e partilhem o que gostam e como gostam ao parceiro.

Eu por ex não gosto de vibradores.
Bastam-me as minhas e as mãos dele.

Anónimo disse...

Obrigada meu Querido por teres trazido este tema, pois de tantos que já falei em jantares com amigas este foi de longe o mais difícil, só depois de algumas garrafas de vinho existiram momentos de partilha!

Eu não tenho qualquer tipo de problema com a masturbação faço-o desde criança, lembro-me da culpa de o fazer até mesmo prometer a mim mesma q n o faria mais.....promessa que nunca consegui cumprir!

Já o fiz por varias razões....por estar mesmo doida de tesão e me apetecer muito,para adormecer, para acordar, por estar em stress, por n ter nada q fazer,por alguem que desejo muito.... na cama, no duche, no sofá, no carro, no wc do trabalho.....

Depois gosto tanto de variar dentro do mesmo tema em tudo q nisto n podia ser excepção, gosto muito de brinquedos, uns só pela penetração, outros pela vibração,comprei um só p ponto G que é uma delicia, e sugiro vivamente,ajuda muito a quem n sabe onde fica ou n tem a sorte de ter homens que tenham esse conhecimento e tacto p o encontrar...... adoro a mão que para mim é mais usada p o clitoris, somos nós que sabemos a pressão e tensão ideal,umas vezes em círculos p um lado, outras no sentido contrario, sentada, de pé, deitada, de quatro...variar é bom, faz-nos conhecer melhor o corpo.....

Em relação ás fantasias, para mim depende....se andar com alguem que não tiro da cabeça, claro que é sempre com e para essa pessoa, muitas, muitas vezes com mulheres,muitas vezes em cenários pouco prováveis, com muita gente, muita submissão, com muitos homens, o cérebro viaja e encontra sempre algo que p aquele dia e momento funcione....

Beijos grande com saudades.

Milu

xarmus disse...

Olá Anónima das 14:24

Obrigado pelo contributo. É bom falarmos abertamente destes temas, e partilharmos com outros o que pensamos e sentimos.

Beijo

xarmus disse...

Olá Milú

Obrigado pela partilha e sinceridade. Todos os motivos são bons para bater uma... hehehehehe.

para ti a masturbação é como o martini... em qualquer altura, em qualquer lugar... heheheh. Gostei.

Beijocas boas minha querida

xarmus disse...

Na sequência dos comentários anteriores, e respondendo em especial ao primeiro comentário deste post, deixo aqui algumas respostas à pergunta "No que pensam os homens quando se masturbam" que encontrei numa revista da especialidade.

"Penso mais nas situações do que nas pessoas. Geralmente, a mulher não tem de ter um rosto, que estar claramente identificada. O centro do meu desejo são as minhas fantasias, por exemplo, imagino que estou a ser observado por mulheres que me desejam enquanto tenho sexo com outra. É o contexto que dá o impulso…”

Eduardo, 42 anos

"Nada de muito complicado. Quando estou numa relação, imagino que estou a ter sexo com a minha companheira, em posições ou situações em que estou com ela e me excito ou nas quais gostaria de estar.”

João, 33 anos

“Gosto de ver filmes ou revistas pornográficas enquanto o faço e geralmente estou apenas focado naquelas imagens. Não é preciso muito mais. Mas por norma não me masturbo quando estou numa relação.”

Luís, 29 anos

“Geralmente penso que me estão a fazer sexo oral. Só isso.”

António, 45

“Imagino que estou a ter sexo com mulheres reais, com quem estive no passado ou que acho sexualmente atraentes, apesar de nunca ter tido nada com elas, mas também posso pensar que estou com uma atriz que vi num filme e que me está a fazer sexo oral, ou numa modelo que vi numa revista ou na internet. A masturbação é o terreno da pura imaginação.“

Pedro, 35 anos

“Tenho a fantasia recorrente de estar com duas mulheres ao mesmo tempo. Há anos que é a mais comum quando me estou a masturbar. E nunca falha. Claro que isto é algo que não posso partilhar com a minha namorada, mas em nada afeta a minha relação – ou o sexo – com ela. Mas sei que, caso lhe contasse, ela iria sempre pensar que é algo que eu quero tornar real, o que não é o caso.”

Miguel, 41 anos

activa.sapo.pt

Anónimo disse...

É idêntico ao que penso como mulher enquanto me masturbo. Não preciso, contudo, de imaginar um actor ou atriz de cinema ou uma pessoa que conheço e por quem me senti atraída. É mais um imaginar que um homem iria saber que eu queria que me tocassem exactamente ali e daquela forma sem ter de vocalizar. Também me masturbo revivendo situações em que senti muito prazer.

xarmus disse...

Obrigado pela contribuição

Anónimo disse...

Ok, mais um testemunho

Eu faço parte das que não se tocam, sempre fui assim, é só com a imaginação, no meu caso a masturbação está totalmente ligada á criação de cenários e a transpor-me para dentro do cenário, as vezes junto a pressao do meu sexo contra uma almofada, ou mesmo contra a cama. E o meu prazer vem assim.

Experimentei algumas vezes usar as mãos para estimular o clitóris, e não acho graça, não resulta, já percebi que comigo não funciona . (se for outa pessoa a tocar-me já funciona)

Já aconteceu querer masturbar–me mas se, por qualquer razão não conseguir criar um cenário, então não há masturbação.
O oposto também acontece, querer dormir, ver televisão, etc., e estar muito excitada e ai tenho que parar e masturbar-me, mas sempre dependente da imaginação.

Não me lembro de ser precoce como outras comentadoras que tem memórias de o fazer aos 4 anos, as memorias que tenho são de 12,13 anos. Talvez porque dependo na totalidade da utilização de cenários e nao utilizo o toque, a experimentaçao das crianças pequenas passa pelo toque.


A situação em que combino a fantasia com um elemento externo é o duche, o chuveiro.

Vibradores, tenho, mas não uso, é a mesma história dos dedos, não preciso e atrapalham-me.

julia

xarmus disse...

Olá Julia

Obrigado por partilhares a tua experiência.

Não sei se leste um post (IS004 Masturbação Feminina), que fala nessas duas maneiras de masturbação, a almofada e o duche.

Beijo

simonephilipanevez disse...

Sim tinhas razao, gostei muito^^

Beijo quente^^

xarmus disse...

Olá Simone... quando li o teu post, lembrei-me que devias gostar de ler este.

Se puderes, vai lendo o meu blog. As histórias para te divertires, as reflexões para leres as minhas opiniões acerca de variados temas, e a informação sexual que te pode esclarecer muitas duvidas. Degusta.

Beijos

Anónimo disse...

Para mim "bater uma é essencial", respondendo ao seu desafio de cada utilizador dizer o que pensa. Eu penso geralmente que estou a fazer sexo com uma tipa boa. Também me masturbo há imenso tempo, praí desde os meus 11 anos (tenho 26). Geralmente bato uma por dia mas há dias em que bato duas e em alguns bato três. Sou um tipo bastante atesoado passo a expressão. AHAH

Abraços

xarmus disse...

Pois... já vi que sim. Estás numa boa idade para bater umas... Obrigado pela contribuição... abraço.

Anónimo disse...

Acho mesmo que o facto de as mulheres terem dificuldade de satisfação sexual têm a ver com 2 pontos essenciais: primeiro o fraco conhecimento e preocupação de muitos parceiros em saber como satisfazê-las e segundo a falta de conhecimento (por vergonha, peso socio-cultural) delas mesmas em relação ao corpo e à forma de atingirem o orgasmo. E é claro que se não o conhecerem também nunca poderão dizer aquilo que gostam.
Eu entrei adulta já na masturbação, a partir daí foi dar asas à imaginação!!!
Gosto e preciso, há certas alturas em que é mesmo apenas para descarregar stress e confesso que o WC do trabalho também é muito útil!!!
Quanto a fantasiar, sim, gosto de fechar os olhos, imaginar que está alguém a lamber-me, gosto de puxar o bico das mamas enquanto brinco com o clitóris e, já perto do êxtase gosto de chamar puta a mim mesma!!!
(Shame on me... hehehehe)

Niniche

xarmus disse...

... e fazes tu muito bem. Já que não tens ninguém a chamar-te puta, chamas tu. Acho isso delicioso. Hehehehehe

Beijocas boas