Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


24.3.11

H019 Coisas que acontecem ( parte I )

Nestas minhas andanças pela net, sempre que vou à caça é fora da minha região. Como tenho casa em Lisboa também e como vou a Lisboa todas as semanas, prefiro dizer que vivo em Lisboa, porque se no meu perfil estiver Leiria, há tendência das pessoas de lá meterem conversa comigo com o objectivo de saber quem sou. Embora o problema seja recíproco, encontrar alguém conhecido ou mesmo da família naqueles sites, é sempre constrangedor. Até porque quando se trocam fotografias, já é num estado avançado da conversa, e já os dois lados perceberam qual é a ideia.

Num belo dia, meto-me na conversa com a mulher de Lisboa com 36 anos, e como de costume a conversa resvalou rapidamente para o sexo e os relacionamentos da net. Depois de uma hora de teclanso, e da habitual troca de fotos e de contactos, lá combinámos que quando eu fosse a Lisboa nos encontrávamos para darmos uma bela duma queca. Continuámos a teclar nos dias seguintes, e passados 6 dias lá enviei-lhe uma mensagem a dizer-lhe que ia a Lisboa e perguntava se dava para nos encontrarmos. O sim veio na resposta, e marcámos um encontro na zona de Belém.

No dia e hora marcados lá estava eu à espera da donzela, que já me tinha dito que estava doida para dar uma queca comigo. Ela chegou 12 minutos depois da hora marcada e estacionou o carro mesmo ao lado da autocaravana. Entrou, e depois dos beijinhos e das apresentações do costume, sentámo-nos um pouco para ver que tempo tínhamos disponível, e como poderíamos aproveitar melhor a situação. Abrimos duas cervejas e estivemos um pouco à conversa.

Eu: - diz-me… que tempo tens disponível?
Ela: - Eu tenho todo o resto do dia, e toda a noite, só tenho que ir para casa por volta das 14h de amanhã.
Eu: - Bem… eu só estava a pensar na noite de hoje, porque tenho uma reunião às 9h da manhã em Évora, e convinha-me ir lá dormir.
Ela: - E a que horas voltas amanhã?
Eu: - Depois da reunião volto para cima, devo cá estar por volta das 13h.
Ela: - E que achas da ideia de eu ir contigo, dormirmos por lá e voltarmos amanhã? Deixava aqui o meu carro e amanhã deixavas-me aqui de novo.
Eu: - Ok… boa ideia. Assim podemos ir já andando para baixo, jantamos pelo caminho e aproveitamos para conversar.
Ela foi buscar uma mochila que tinha no carro, trancou o carro e lá fomos nós a caminho de Évora.

Pelo caminho falámos de sexo, e das experiencias que já tínhamos tido na net, com este tipo de encontros. Depois de ver que eu era um homem liberal e uma mente aberta, contou-me as loucuras que já tinha feito neste tipo de encontros. Fiquei muito satisfeito por perceber que éramos os dois experientes nestas coisas, o que fazia prever uma queca bem desinibida e gostosa. Falámos de sexo, dos nossos gostos, de como poderíamos abordar a coisa, e eu já estava autorizado a usar e abusar dela como me apetecesse, já que ela se assumiu submissa e gostava de ser dominada e fodida de todas as maneiras e feitios. Também gostava de sexo anal, e eu tinha carta-branca para me esticar conforme me apetecesse.

Maravilha, a noite prometia. Ela vinha toda provocante como é habitual nestas coisas, e eu passei a viagem a garfar-lhe as belas pernocas e a imaginar o que lhe ia fazer durante a noite. O decote bem ousado dava para lhe ver uma boa parte das mamas 36, e nunca mais via a hora de descascar aquela mulher e deliciar-me com aquele corpinho maravilhoso. Claro que pelo caminho fui apalpando o que me apeteceu e ela foi sempre muito querida, muito colaborante e sempre pronta a facilitar-me o acesso ao que eu solicitava.

(continua no próximo post)

14 comentários:

Fruto Proibido disse...

Apesar de saber mais ou menos o que vai acontecer fico ansiosa por ler o resto! ;)

*beijinho

xarmus disse...

talvez... mas vais ficar surpreendida... como eu fiquei.

Beijo

Fruto Proibido disse...

Então isto promete...! Melhor assim!
Vou ficar viciada nestas tuas conversas e histórias...

*beijinho

xarmus disse...

Já leste as outras histórias? há umas bem fixes. O que eu acho giro é serem verdadeiras, mas por outro lado não tenho margem de manobra para as tornar diferentes, mais romanticas ou excitantes, tenho que me limitar a contar o que aconteceu.

Um dia escrevo um livro todo imaginado... dá para fazer histórias mais giras.

Beijo

Fruto Proibido disse...

Eu sempre que posso dou uma espreitadela ao teu histórico de histórias e vou lendo sendo mais umas quantas.
Já para não falar nas fotos que transbordam de sensualidade.
Sem dúvida que o facto de serem verdadeiras torna tudo mais dificil porque (como disseste) não podes fugir ao que foi, mas... é verdadeiro percebes? é muito fácil entrar no imaginário e criar histórias e personagens, mas o que ambos fazemos... Contar a verdade e nada mais que a verdade. eu floreio um bocado com palavras, é verdade, mas não deixa de ser totalmente verdadeiro.

Se o "livro imaginado" for tão bom como o verdadeiro já tens uma fã! :)

*beijinho

xarmus disse...

Sim... deu para ver que o que escreves é verdadeiro. E gosto da tua escrita. Eu que sou muito prático em tudo o que faço, e como não sou escritor, escrevo de uma forma muito crua, sem floreados. Limito-me a contar como foi, como se estivesse a contar oralmente. Mas acho que é a melhor forma de eu escrever, já que não tenho o dom da escrita.

Beijo

Mariluu disse...

Gosto mais das "histórias" do que das "conversas", no fundo até expões mais o teu EU porque estás a manipular a informação e não apenas a fazer copy-paste" de uma conversação...

Também estou curiosa, mas cá para mim envolveram-se e ahhhhh afinal tens uma prima que não conhecias! ;)

Vá, vê lá se publicas depressa senão isto começa a parecer as seasons em que temos de esperar uma semana para o próximo episódio!

xarmus disse...

Não sei se será assim... porque nos históricos também lá estou a conversar, e nem tenho tempo para pensar, é tudo muito genuíno, é o que sai no momento. Acho que até me dou mais a conhecer nos históricos do que nas histórias.

Vou publicar de dois em dois dias, numa semana já lês tudo.

Mulher Sexy disse...

Hummmmmmmmmmmm acabei de ler o INICIO e já estou louca a ler as partes II e III rsrs
Bjo FUI...

xarmus disse...

Olá Mulher Sexy

Benvinda ao meu humilde espaço... espero que gostes... degusta

Mulher Sexy disse...

Já estou GOSTANDO... quase, GOZANDO rs
Bjo

Sem nome disse...

Boas Xarmus! Essa Foi mesmo boa! É preciso mesmo ter "Sorte",foseres alguem que mora mesmo em frente da tua empresa e sem saber!

Acho que se quiseseste fazer de proposito seria dificil!

Gosto das tuas Histórias! Tomara ter a tua experiênca !

Bem Boa Continuação com os teus engates!!

R V

xarmus disse...

Olá mulher sexy... só agora que vim aqui responder ao ultimo comentário, percebi que não tinha respondido ao teu... Se leres a história até ao fim... vais gozar mesmo.

Beijocas boas

xarmus disse...

Olá Sem nome

Vai aparecendo... tens muito que ler

Obrigado pela visita.